! Fed desmente ter aconselhado o presidente do BofA a se calar sobre o Merrill - 23/04/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

23/04/2009 - 21h52

Fed desmente ter aconselhado o presidente do BofA a se calar sobre o Merrill

[selo]
WASHINGTON, EUA, 23 Abr 2009 (AFP) - O Federal Reserve dos Estados Unidos (Fed) desmentiu nesta quinta-feira que seu presidente, Ben Bernanke, tivesse aconselhado o presidente do Bank of America, Kenneth Lewis, a esconder a verdadeira situação financeira do Merrill Lynch para que não fracassasse o seu processo de compra.

No dia 15 de setembro do ano passado, as autoridades do governo ajudaram o Bank of America a adquirir o banco de investimentos Merrill Lynch, após a quebra do Lehman Brothers, que não encontrou compradores, para evitar sua falência. O Bank of America recebeu, na ocasião, US$ 20 bilhões de fundos públicos para facilitar o negócio.

"Ninguém no Federal Reserve recomendou a Ken Lewis ou ao Bank of America que mantivesse reserva", disse Michelle Smith, porta-voz do Fed, em relação a documentos divulgados pelo Procurador de Justiça do Estado de Nova York, Andrew Cuomo.

Esses papéis comprovaram que os reguladores advertiram Lewis de que não revelasse a amplitude dos problemas do Merrill por temor a um "desastre nos mercados financeiros".

Segundo o Wall Street Journal, o ex-secretário americano do Tesouro, Henry Paulson, e o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, tentaram guardar silêncio sobre a situação do banco de investimentos Merryl Lynch.

De acordo com o jornal financeiro, o diretor do Bank of America, Kenneth Lewis, em uma declaração sob juramento, em fevereiro, ante a justiça nova-iorquina, afirmou que Paulson e Bernanke não queriam divulgar as dificuldades financeiras crescentes da Merrill Lynch antes de sua compra pelo Bank of America, em 1º de janeiro passado.

Revelar as perdas da Merrill Lynch, que chegaram a 15,84 bilhões de dólares no quarto trimestre de 2008, teria levado os acionistas do Bank of America a se oporem à compra. As autoridades temiam que um fracasso nessa operação fosse um "grande risco para o sistema financeiro", disse Lewis.

"As perdas da Merrill Lynch, não eram uma informação que todo acionista do Bank of America deveriam ter conhecido?", perguntou a Lewis um representante do ministério da justiça de Nova York, segundo trechos da audiência publicados pelo Wall Street Journal.

"Isso não dependia de mim", defendeu-se o executivo.

No entanto, segundo o jornal, "em momento algum do testemunho Lewis disse que alguém lhe havia ordenado explicitamente guardar silêncio, mas acreditava que o governo assim preferiria".

Segundo uma fonte próxima ao caso, Paulson teria explicado em março aos investigadores que Lewis "poderia ter interpretado mal certas observações sobre as obrigações de divulgar informação dada pelo Tesouro".

Bank of America e Merrill Lynch estão desde janeiro prestando contas à justiça nova-iorquina por não terem informado seus acionistas das perdas imprevistas do banco de investimentos, antes da fusão das duas sociedades.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host