! A recessão no Reino Unido se agrava no 1o. trimestre com PIB a -1,9% - 24/04/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

24/04/2009 - 10h20

A recessão no Reino Unido se agrava no 1o. trimestre com PIB a -1,9%

[selo]
LONDRES, Reino Unido, 24 Abr 2009 (AFP) - A recessão na economia britânica se agravou no primeiro trimestre, ao contrário das expectativas dos economistas, e o PIB se contraiu 1,9% em relação ao trimestre anterior e 4,1% em relação ao mesmo período do ano passado, anunciou nesta sexta-feira o Birô de Estatísticas.

Esta severa contração do PIB - inédita desde 1979 - é pior do que a prevista pela maioria dos analistas, que esperavam uma contração do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,5% mensal e de 3,8% interanual.

Depois da divulgação das novas cifras, a libra perdeu cerca de 1% de seu valor, passando abaixo dos 1,46 dólar e sendo negociada a 1,10 euro.

Os novos indicadores confirmaram que a quinta economia do mundo já leva um ano de crescimento negativo, pois trata-se do terceiro trimestre consecutivo de contração do PIB britânico, que já havia retrocedido 0,7% no terceiro trimestre e 1,6% no quarto trimestre de 2008.

As cifras foram divulgadas enquanto as agências de classificação de risco examinam uma possível baixa da nota da dívida britânica, que tem agora uma classificação AAA, o que fez a Moody's resumir como uma "rápida deterioração" das finanças públicas britânicas.

Segundo o Birô de Estatísticas, o retrocesso da economia se deve particularmente à queda na atividade nos setores dos serviços e produção.

As cifras são muito mais sombrias que as anunciadas pelo chefe do Tesouro britânico, Alistair Darling, que declarou esta semana que a economia sofreria uma contração de 3,5% em 2009, mas assegurou que crescerá 1,25% em 2010.

Em um discurso na Câmara dos Comuns, o ministro admitiu que o mundo está enfrentando a pior crise econômica desde 1945, mas garantiu que o "orçamento de hoje ajudará as pessoas a atravessarem esta recessão mundial e vai preparar a Grã-Bretanha para aproveitar as oportunidades que surgirem futuramente.

O Fundo Monetário Internacional (FMI), em compensação, indicou esta semana que o PIB britânico retrocederá 4,1% este ano e que não haverá crescimento no próximo ano, e sim uma contração de 0,4%.

Ainda segundo Darling, o déficit da Grã-Bretanha vai explodir, com os empréstimos líquidos do setor público passando de 90 bilhões de libras no exercício 2008/2009, chegando a 175 bilhões no exercício em curso, uma quantia recorde na história do país.

Isto representa 12,4% do PIB, e a dívida pública seguirá o mesmo caminho, passando de 50,9% atualmente para 59% no fim do exercício fiscal em andamento e depois para 68% ao término do exercício 2010/2011.

Mas Darling se disse também determinado a levar as finanças públicas ao equilíbrio em vários anos, se comprometendo para isso a realizar economias de funcionamento e a elevar alguns impostos e taxas. Ele também garantiu que os empréstimos líquidos diminuirão ligeiramente a partir do ano fiscal seguinte, a 173 bilhões de libras, ou seja 11,9% do PIB.

O governo vai dedicar 1,7 bilhão de libras extras à luta contra o desemprego, apoiando a construção de moradias, e vai lançar um bônus de 2.000 libras (aproximadamente 2.250 euros) para a troca de um veículo antigo por um novo, para estimular as vendas dos construtores de automóveis.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host