! Piratas somalis e forças navais internacionais mantêm disputa - 03/05/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

03/05/2009 - 12h47

Piratas somalis e forças navais internacionais mantêm disputa

[selo]
MOGADÍSCIO, Somália, 3 Mai 2009 (AFP) - Piratas e forças navais internacionais voltaram a travar batalhas durante o fim de semana na costa da Somália, com navios sequestrados e criminosos detidos em alto mar.

Piratas somalis anunciaram a captura de um navio paquistanês, enquanto França e Seychelles prenderam 14 piratas.

Desde o início do ano, os piratas já sequestraram 30 navios na região. Dezoito deles permanecem retidos, com quase 300 tripulantes a bordo, dos quais um terço são filipinos.

O cargueiro "Al-Misan" foi capturado na sexta-feira a 100 km da capital Mogadíscio, anunciou Ahmed Abdi, um dos líderes dos piratas na cidade de Haradhere.

Segundo comerciantes da região, o cargueiro paquistanês zarpou dos Emirados Árabes Unidos e transportava veículos e outras mercadorias, como açúcar e óleo, para comerciantes somalis.

As autoridades paquistanesas, no entanto, afirmaram não ter registrado nenhum barco com este nome.

No sábado, piratas de Haradhere anunciaram o sequestro de dois navios.

Um deles seria o "Ariana", um cargueiro que transportava 35.000 toneladas de soja, com proprietários na Grã-Bretanha e Grécia, e 24 tripulantes ucranianos.

Já a identidade do segundo navio é confusa. Piratas chegaram a afirmar que se tratava de uma embarcação ucraniana que transportava veículos da ONU, mas informação não foi confirmada.

Os piratas aproveitam as boas condições climáticas, antes da temporada de chuvas, para atacar grandes cargueiros.

Para responder aos atos de pirataria que afetam uma das rotas marítimas mais movimentadas do mundo, as forças navais de vários países atuam na região.

A fragata francesa "Nivôse" capturou neste domingo 11 piratas, armados com fuzis e um lança-foguetes, na costa da Somália.

Os piratas navegavam em duas embarcações acompanhados de um barco de base a mais de 500 milhas náuticas de Mombasa (Quênia).

As duas lanchas confundiram a fragata francesa com um navio mercante e pretendiam atacar o navio de guerra francês. Na aproximação, os militares franceses capturaram os piratas.

As ilhas Seychelles anunciaram no sábado a prisão de três piratas somalis em sia zona econômica de 1,3 milhão de quilômetros quadrados no Oceano Índico.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host