! EUA: membros do governo preveem crescimento da economia no segundo semestre - 02/08/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/08/2009 - 15h07

EUA: membros do governo preveem crescimento da economia no segundo semestre

NOVA YORK, EUA, 2 Ago 2009 (AFP) - Dois altos funcionários da equipe econômica do governo de Barack Obama fizeram previsões otimistas para o país neste domingo, estimando que os Estados Unidos voltarão a crescer na segunda metade do ano.

"É muito, muito provável que assistamos a um crescimento (da economia) na segunda metade do ano", declarou o assessor econômico da Casa Branca Larry Summers, em entrevista ao programa "Meet the Press", da rede de televisão NBC.

Summers e o secretário do Tesouro Timothy Geithner participaram de programas de entrevista neste domingo para defender a bandeira de que o plano de estímulo econômico do presidente Obama está surtindo efeito, apesar do aumento do desemprego e das preocupações com o déficit americano.

Ambos receberam ainda o reforço do ex-presidente do Federal Reserve Alan Greenspan, que disse à rede de TV ABC que a pior crise americana dos últimos 50 anos "ainda não terminou", mas que "estamos muito perto".

"O colapso já não é uma possibilidade", afirmou Greenspan, acrescentando estar "bastante seguro" de que a economia americana já havia passado pelo auge da crise em meados de julho e que agora começa a se recuperar.

Summers, por sua vez, insistiu que a economia americana deve voltar a crescer já no segundo semestre de 2009. Seu argumento é que as fábricas precisarão repor seus estoques, que diminuiram graças ao enorme sucesso do programa de estímulo à indústria automobilística.

Por outro lado, tanto ele quanto Geithner reconheceram que taxa de desemprego americana continuará a subir - atualmente, está em 9,5%. O secretário do Tesouro citou analistas privados para afirmar que esta tendência provavelmente não se inverterá antes do segundo semestre de 2010.

"Você está certo em dizer que há sinais apontando para o fim da recessão. E, se você pensar em como estávamos no fim do ano passado, tínhamos uma economia em queda livre, um sistema financeiro à beira do colapso", lembrou Geithner.

"Acho que ainda temos um caminho a percorrer", acrescentou. "Gostaria de enfatizar as realidades básicas. O desemprego ainda está muito alto neste país. Precisamos fazer com que os americanos tenham mais certezas sobre o seu futuro".

O mais recente indício de luz no fim do túnel da recessão foram os números do Produto Interno Bruto divulgados na última sexta-feira pelo departamento do Comércio: o PIB americano se contraiu 1% no segundo trimestre de 2009, muito menos do que as previsões dos economistas.

Para o governo, estes dados mostram que a economia estava em piores lençóis do que se imaginava quando Obama tomou posse - mas, por outro lado, indica que os programas de estímulo estão funcionando.

"O que você vai ver primeiro é o crescimento voltar a ser positivo", disse Geithner. "E então você verá o ritmo da perda de empregos diminuir - e já diminuiu significativamente (...)".

Perguntado sobre a possibilidade de uma "segunda onda" de recessão, o secretário do Tesouro respondeu que o governo tem consciência disso, mas que não vê como um risco neste momento.

"Mais uma vez: precisamos que a recuperação seja erguida sobre a demanda privada, no gasto privado, nos negócios fazendo novas tentativas com a economia americana, fazendo com que os investimentos dêem certo, começando a reconstruir a base do emprego", destacou Geithner.

"Este é o principal teste para a recuperação", concluiu.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host