! Petróleo fecha abaixo dos 70 dólares em NY após relatório da Opep - 11/08/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

11/08/2009 - 16h38

Petróleo fecha abaixo dos 70 dólares em NY após relatório da Opep

NOVA YORK, EUA, 11 Ago 2009 (AFP) - Os preços do petróleo recuaram nesta terça-feira em Nova York, caindo para menos de 70 dólares o barril, depois do relatório mensal da Opep e na véspera do estudo semanal dos estoques americanos.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de 'light sweet' para entrega em setembro perdeu 1,15 dólar em relação ao fechamento de segunda-feira, encerrando a 69,45 dólares.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte com igual vencimento caiu 1,04 dólar, fechando a 72,46 dólares.

"O mercado está um pouco esquizofrênico. Abriu em alta depois da publicação dos números referentes às importações chinesas, mas vieram em seguida os dados da Opep", explicou Bart Melek, da BMO Capital Markets.

A publicação do relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não tranquilizou um mercado fragilizado nesta terça-feira pela queda das Bolsas.

"A Opep espera uma oferta maior, num momento em que a demanda pelo petróleo do cartel e o grau de conformidade (às cotas de produção) estão em declínio", observou Melek.

O relatório indica que a produção do cartel aumentou em 160.000 barris, para 28,68 milhões de barris por dia (mbd), entre os meses de junho e julho. Além disso, a Opep aposta num aumento da produção dos outros países produtores que não integram a organização.

No entanto, a Opep continua prevendo uma estabilização da demanda de bruto em 2009 e uma leve recuperação em 2010.

No início da sessão desta terça-feira, os operadores observaram que as importações chinesas de bruto bateram um recorde em julho, com 4,635 mbd, ou seja, uma disparada de mais de 40% em ritmo anual.

O mercado também foi influenciado pela instabilidade do dólar, na véspera da publicação do relatório semanal sobre os estoques nos Estados Unidos.

Segundo uma pesquisa da agência Dow Jones Newswire, os analistas esperam um aumento dos estoques de bruto (+700.000 barris), que seria o terceiro consecutivo.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host