! Fed mantém taxa básica na margem de 0 a 0,25% - 12/08/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

12/08/2009 - 18h04

Fed mantém taxa básica na margem de 0 a 0,25%

WASHINGTON, EUA, 12 Ago 2009 (AFP) - O Federal Reserve (Fed, banco central americano) manteve a taxa básica em sua margem de 0 a 0,25% e afirmou que a atividade econômica parece "estar no caminho da estabilização", ao final de uma reunião de dois dias de seu Comitê de Política Monetária.

"A conjuntura continuou melhorando recentemente nos mercados financeiros", assinala o Comitê de Política Monetária (FOMC) do Fed em um comunicado publicado ao término da reunião em Washigton.

Os gastos das famílias, vitais para a economia americana, "continuaram mostrando sinais de estabilização, mas se mantêm limitados pela persistência da perda de empregos, um crescimento muito lento dos rendimentos, uma queda do patrimônio familiar e um crédito restrito", acrescenta o banco central americano, em um texto quase idêntico neste ponto às conclusões de sua última reunião, de junho.

"As condições econômicas provavelmente garantirão taxas extremamente baixas para o dinheiro a 24 horas durante um longo período", reitera o FOMC, em uma indicação de que as dificuldades da primeira economia mundial ainda não estão superadas.

Para continuar impulsionando a economia americana, num momento em que a recuperação parece a caminho, o Fed anunciou, além disso, que reduzirá o ritmo de seu programa de compra de obrigações do Tesouro americano, no valor de 300 bilhões de dólares, a fim de concluí-lo em outubro e não em setembro.

"Para promover uma transição sem grandes variações nos mercados quando a compra for concluída, o Comitê decidiu reduzir, de forma gradual, o ritmo dessas transições e antecipa que elas se completarão no final de outubro", disse o FOMC, que teve suas decisões aprovadas por unanimidade.

O órgão acrescenta ainda que "o Federal Reserve irá comprar até 1,25 bilhão em títulos de hipotecas e até 200 bilhões de dólares em dívidas por ano.".

Segundo analistas, é um dos primeiros passos, ainda que hesitantes, para pôr fim ao apoio extraordinário dado à economia.

"O Fed começa a se despreocupar, mas não a ponto de depender de uma recuperação ou apostar em sua força", disse Robert Brusca, da FAO Economics.

Craig Alexander, do TD Bank Financial, por sua vez, afirmou que o anúncio sugere apenas uma pequena melhoria no sistema financeiro.

O Fed reconhece que existe uma certa melhora, "mas não quer dizer que a economia já não exija apoio".

Alexander acredita que, nas atuais circunstâncias, o Fed irá manter as taxas próximas de zero, por cerca de um ano. "Não acho que há uma necessidade urgente de ajustar a política em um futuro próximo."

Ryan Sweet, da Economy.com, disse que a decisão do Fed de desacelerar suas compras do Tesouro foi, de alguma maneira, "surpreendente", mas não se tratou de mudanças significativas de orientação.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host