! Economia chilena entra em recessão pela primeira vez em dez anos - 18/08/2009 - AFP - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/08/2009 - 15h41

Economia chilena entra em recessão pela primeira vez em dez anos

SANTIAGO, Chile, 18 Ago 2009 (AFP) - A economia chilena caiu 4,5% no trimestre abril-junho e registrou sua primeira recessão em uma década devido à crise financeira internacional, um cenário que começará a se reverter logo no fim deste ano ou início de 2010, segundo analistas.

O PIB (Produto Interno Bruto) chileno desacelerou no segundo trimestre deste ano pela queda da atividade industrial e do comércio, os setores mais atingidos pela crise, informou nesta terça-feira o Banco Central.

Durante o primeiro trimestre, a queda foi de 2,3%, o que levou a uma contração de 3,4% do PIB no primeiro semestre de 2009.

Esta desaceleração no primeiro semestre é a primeira desde 1999, quando a economia chilena enfrentou a crise asiática, que provocou uma redução anual do PIB de 0,8%.

"Nossa projeção é de que a economia vai voltar a crescer nos próximos 12 meses, a partir já do último trimestre deste ano", destacou à AFP o economista da Universidade de Santiago, Guillermo Pattillo.

O analista destacou que esta recuperação será uma "lenta e gradual mudança de tendência". : E o ano, no acumulado, vai terminar negativo".

O economista da Universidade do Chile, Joseph Ramos, disse por sua vez que a economia nacional atingiu o fundo do posso em maio passado e que agora está em um processo de recuperação que em 2010 deve voltar a crescer como antes da crise.

"Para alguém que acaba de sair do hospital é difícil saber quando correrá uma maratona, mas a esta altura já podemos dizer que em 2010 o crescimento vai ser positivo, acima de 3%", acrescentou.

"Uma economia que teve meses de queda acelerada se estabiliza e se mantém", destacou o ministro da Fazenda, Andrés Velasco.

Em seu relatório trimestral, o Banco Central disse que "a atividade industrial se destacou como a de maior incidência negativa na queda do período, seguida por comércio, transporte e pesca".

A indústria manufatureira caiu 13,1% enquanto a construção recuou 4,8%. O comércio se contraiu 7,1%.

A pesca despencou 27,3% afetada em grande parte pela crise da então próspera indústria do salmão, que foi atingida por um vírus arrasador.

O Banco Central informou ainda que entre abril e junho a demanda interna se contraiu 10,6%, as exportações 5,4% e as importações, 18,8%.

O Banco Central revisou em baixa sua estimativa da evolução do PIB para 2009 situando-a entre uma queda de 0,75% e uma expansão de 0,25%.

O PIB cresceu 3,2% em 2008.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host