UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2009 - 16h36

Petróleo sobe em Londres e NY, apesar de alta dos estoques nos EUA

NOVA YORK, 25 Ago 2010 (AFP) -Os preços do petróleo recuperaram-se nesta quarta-feira em Londres e Nova York, depois de cair a seu nível mais baixo em três meses, apesar de outro espetacular aumento das reservas nos Estados Unidos e novos indicadores econômicos decepcionantes.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de West Texas Intermediate (designação de "light sweet crude" negociado nos EUA) para entrega em outubro terminou em 72,52 dólares, ganhando 89 centavos em relação a terça-feira.

No InterContinentalExchange de Londres, o barril de Brent do Mar do Norte com igual vencimento recuperou 1,10 dólar, a 73,48 dólares.

"É surpreendente, já que os dados do Departamento de Energia eram realmente motivo para a baixa nos preços: houve aumento das reservas, não apenas de petróleo, mas também de gasolina e produtos destilados", disse Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

"Penso que os operadores tentaram cobrir suas posições por conta da baixa acumulada há uma semana", completou. "Como nos aproximávamos dos 70 dólares, as pessoas concluíram que não convinha vender mais".

Trata-se apenas de uma terceira alta dos preços - que superavam os 80 dólares no início de agosto - nas últimas 16 sessões. Esta queda levou o barril de WTI a 70,76 dólares, seu nível mais baixo desde o fim de maio, nesta quarta-feira, depois da divulgação dos dados do Departamento de Energia.

O relatório do departamento dá conta de uma alta massiva e inesperada das reservas de petróleo do país durante a semana passada, que excluindo as reservas estratégias, estão em seu nível mais alto desde que a pasta levanta as estatísticas (1990).

No front macroeconômico, as notícias continuam negativas.

A agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu em um nível a nota da dívida da Irlanda, o que reavivou os temores sobre o aumento das dívidas soberanas de alguns países da zona do euro.

Em relação à venda de moradias, estas caíram fortemente em julho, enquanto as ordens de bens duráveis nos Estados Unidos recuperaram-se mais modestamente que o esperado.
Hospedagem: UOL Host