UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/10/2009 - 20h29

Administradores de fundos que mentiram a investidores podem pegar 20 anos de prisão

NOVA YORK, EUA, 14 Out 2009 (AFP) - Dois administradores de fundos do banco americano Bear Stearns foram acusados nesta quarta-feira pela justiça de terem mentido aos investidores antes da quebra do estabelecimento, primeira vítima da crise financeira mundial em maço de 2008.

Ralph Cioffi e Matthew Tannin são acusados de fraude, associação ilícita e crime financeiro, pelo que podem pegar até 20 anos de prisão se considerados culpados. Os dois homens alegam inocência.

"Eles mentiram aos investidores para ganhar tempo na esperança de que o mercado voltasse a subir, mas não foi o caso", declarou o procurador Patrick Sinclair no tribunal federal de Brooklyn em Nova York onde foi aberto o processo.

"Mentiram para salvar seus prêmios de vários milhões de dólares", afirmou o procurador. "Escolheram cometer um crime ante a quebra quase certa de seus fundos".

No dia 22 de junho de 2007, o banco de negócios Bear Stearns havia dado um sinal da crise financeira que se avizinhava, anunciando que dois de seus fundos estavam em quase em quebra.

O acontecimento que passou despercebido na época resultou em perdas de 1,6 bilhão de dólares para os investidores após a liquidação dos fundos um mês mais tarde.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host