UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/11/2009 - 21h52

Grupo financeiro americano CIT entra em concordata

NOVA YORK, EUA, 1 Nov 2009 (AFP) - O grupo financeiro americano CIT, responsável tradicionalmente pelo financiamento às pequenas e médias empresas (PME), anunciou neste domingo que vai se colocar sob a proteção da lei de falências (Capítulo 11).

O CIT foi fundado em 1908, sendo especializado no financiamento e na consultoria a empresas menores e que possui mais de um milhão de clientes em 50 países, além de 71 bilhões de dólares em ativos.

"O Conselho de administração aprovou a proposta de entregar, voluntariamente um dossiê sobre sua situação ao tribunal de falências do distrito sul de Nova York", diz o grupo em comunicado.

O grupo se apresenta como o número um nos Estados Unidos para as PME, sendo, também, um dos mais importantes na concessão de empréstimos, principalmente para o comércio varejista.

O CIT é, também, um importante parceiro dos setores de aeronáutica, defesa e do transporte ferroviário, tendo entre seus clientes grandes nomes da tecnologia como Dell, Microsoft ou Toshiba.

Com os ativos do CIT avaliados em 71 bilhões de dólares, trata-se da quinta maior quebra da história dos Estados Unidos, após as do Lehman Brothers (2008), Washington Mutual (2008), WolrdCom (2002) e General Motors (2008).

O procedimento diz respeito apenas à sede do grupo, que espera, assim, reduzir seu endividamento de 10 bilhões de dólares; estão poupadas as agências do CIT e suas filiais, o que lhes permitirá prosseguir suas atividades, precisa a nota.

As dificuldades do grupo se intensificaram em julho, uma vez que deveria expirar, em agosto, uma parcela de um bilhão de dólares de sua dívida obrigatória, que não estava preparado para refinanciar. O CIT recusou uma nova injeção de recursos federais por Washington, após ter recebido 2,3 bilhões de dólares em dezembro.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host