UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/11/2009 - 12h49

Hillary Clinton exige liberação incondicional da birmanesa Suu Kyi

MANILA, Filipinas, 12 Nov 2009 (AFP) - A opositora birmanesa Aung San Suu Kyi deve ser liberada de forma incondicional, declarou nesta quinta-feira em Manila a secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

"Pensamos que ela deve ser liberada e que não tem de ficar presa", disse Hillary Clinton, em entrevista à imprensa na capital das Filipinas, onde iniciou uma visita de dois dias.

"Continuamos pedindo sua liberação incondicional", acrescentou.

O general Than Shze, homem forte da junta birmanesa, criticou quarta-feira a ingerência "neocolonialista estrangeira", evocando implicitamente as pressões que os Estados Unidos exercem para a realização de eleições democráticas no próximo ano.

"O governo prepara a realização de eleições em 2010 conforme a nova constituição", declarou Than Shze, em mensagem publicada por ocasião da festa nacional birmanesa.

Suu Kyi venceu as eleições de 1990, mas nunca foi autorizada a exercer o poder.

Em agosto, foi condenada a 18 meses a mais de prisão domiciliar, pena confirmada em apelação dia 2 de outubro.

Aung San Suu Kyi passou 14 dos últimos 20 anos privada de liberdade.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host