UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/11/2009 - 17h56

Wall Street cai, sem pânico, em meio a temores por Dubai

NOVA YORK, EUA, 27 Nov 2009 (AFP) - A Bolsa de Nova York terminou em queda nesta sexta-feira, em uma sessão encerrada mais cedo devido ao feriado do Dia de Ação de Graças, na qual os investidores, apesar de preocupados, não cederam ao pânico causado pelas dificuldades financeiras do emirado de Dubai: o Dow Jones recuou 1,48%, e o Nasdaq, 1,73%.

O Dow Jones Industrial Average, que na quarta-feira encerrou em seu nível mais alto desde outubro de 2008, perdeu 154,48 pontos, a 10.309,92 unidades, enquanto o Nasdaq, de alto componente tecnológico, caiu 37,61 pontos, a 2.138,44 unidades.

O índice ampliado Standard & Poor's 500, por sua vez, cedeu 1,72% (19,14 pontos), a 1.091,49 unidades.

"Tudo isso é por causa de Dubai", comentou Hugh Johnson, da Johnson Illington Advisors. "Isso cria incerteza, e a incerteza leva ao medo".

Wall Street permaneceu fechada na quinta-feira devido ao feriado, reagindo nesta sexta-feira pela primeira vez à situação de Dubai, que abalou os mercados da Europa e da Ásia.

Na quarta-feira, o emirado solicitou uma moratória de seis meses para o pagamento de uma dívida de 59 bilhões de dólares de uma de suas principais empresas públicas, a Dubai World.

"É uma pequena crise financeira, mas a história nos ensinou que as pequenas crises financeiras podem se transformar em grandes crises", alertou Johnson.

Em baixa de mais de 2% nas primeiras operações, o Dow Jones reduziu suas perdas ao longo do pregão, mas mesmo assim os 30 valores que o compõem terminaram no vermelho.

"Não houve vendas de pânico", destacou Peter Cardillo, da Avalon Partners. "A percepção (do mercado) é de que não se trata de uma nova crise, e sim a consequência da 'velha' crise", acrescentou, estimando que "o verdadeiro teste" será na segunda-feira.

O mercado obrigatório, refúgio dos investidores preocupados, subiu. O rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos caiu a 3,211%, contra 3,279% na quarta-feira, e o dos títulos a 30 anos a 4,209%, contra 4,257%.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host