UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/11/2009 - 14h35

OMC celebra grande reunião ministerial em Genebra

GENEBRA, Suíça, 28 Nov 2009 (AFP) - Mais de 100 ministros se encontrarão a partir de segunda-feira em Genebra para a primeira grande reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC) em quatro anos, sem decisões vitais na agenda e à espera de uma definição da política comercial dos Estados Unidos.

De forma prévia, o G20 e o G33 de países em desenvolvimento terão reuniões separadas no domingo para unificar critérios para o sétimo encontro ministerial da OMC, que pretende analisar o funcionamento da organização.

A ministerial, com três dias de duração e a primeira após Hong Kong-2005, também deve servir para enviar um certo número de sinais fortes ao mundo inteiro sobre o conjunto das questões da OMC, incluindo a rodada de Doha para a liberalização do comércio, explicou recentemente o diretor da organização, Pascal Lamy.

Mas ao contrário de reuniões anteriores, não está prevista nenhuma tentativa de levar adiante as paralisadas negociações iniciadas em 2001 na capital do Qatar.

Para não terminar em frustração, o francês Lamy preferiu reduzir ao máximo as ambições do encontro, mas não deixará de destacar mais uma vez os benefícios da rodada de Doha.

Com a previsão de queda de mais de 10% do comércio mundial em 2009, Doha poderia representar até 700 bilhões de dólares à economia global com o fim das barreiras alfandegárias de milhares de produtos e dos subsídios agrícolas da Europa e dos Estados Unidos, segundo alguns estudos.

Neste sentido, Lamy espera ao menos obter um novo compromisso das grandes potências para concluir a rodada em 2010, uma perspectiva que no entanto parece cada vez mais distante.

Em Genebra estarão presentes os negociadores das principais partes: a comissária europeia do Comércio, Catherine Ashton (nomeada para comandar a diplomacia da União Europeia); o secretário americano do Comércio, Ron Kirk; o chanceler brasileiro Celso Amorim; o ministro indiano do Comércio, Anand Sharma; e o ministro chinês do Comércio, Chen Deming.

O sábado foi marcado por protestos em Genebra contra a reunião da OMC. Manifestantes encapuzados e vestidos de preto saquearam e destruíram lojas, bancos e veículos.

A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar os manifestantes, que seguiam para a sede da OMC.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host