UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/12/2009 - 10h05

Acordo internacional para reforma de crédito à venda de aviões

PARIS, 22 dez 2010 (AFP) -Europa, Estados Unidos, Brasil e Canadá, alcançaram um acordo para reformar o mecanismo de apoio à venda de aviões denominado "créditos de exportação aeronáutica", anunciou uma fonte ligada às negociações.

"Alcançamos um acordo ontem (terça-feira) na última hora. Inclui Europa, Estados Unidos, Brasil e Canadá. Os governos devem ratificá-lo até 1º de fevereiro", afirmou a fonte à AFP.

Há vários meses, estes países e a Europa negociavam na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE) a reforma do dispositivo - revisado em 2007 - que permite às companhias aéreas estrangeiras receber uma garantia de empréstimo governamental para facilitar a compra de aviões.

O surgimento de novos competidores para as construtoras europeia Airbus e americana Boeing, como a brasileira Embraer e a canadense Bombardier, reforçou a necessidade de revisão dos créditos à exportação.

Outras companhias europeias e americanas que não estavam incluídas no dispositivo também reclamavam uma reforma.

As negociações formais foram concluídas na sexta-feira em Paris, mas desde então as partes discutiam os últimos detalhes do acordo.

Uma fonte europeia explicou à AFP que o novo texto responderá, em parte, às reivindicações das principais companhias americanas e europeias (Air Berlin, Air France, British Airways, Delta Airlines, Lufthansa e Virgin).

As empresas de transporte, que até agora não tinham acesso aos créditos, denunciavam a existência de ajudas de organismos como a Coface na França, Euler na Alemanha, Exim Bank nos Estados Unidos, a taxa de juros muito inferiores às praticadas nos mercados financeiros.

Agora, as empresas poderão ser beneficiadas, mas sob determinadas condições, por empréstimos a taxas de juros preferenciais.

Airbus e Boeing conseguiram um período de transição, em virtude do princípio de "grandfathering" (cláusula de anterioridade), durante o qual a uma determinada quantidade de aviões, parte deles encomendados em 2007, o aumento não será aplicado.
Hospedagem: UOL Host