UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/01/2010 - 18h03

Justiça dos EUA suspende embargo sobre reservas da Argentina

Um magistrado dos Estados Unidos suspendeu o embargo de US$ 1,7 milhão de uma conta do Banco Central da Argentina, BCRA, no Federal Reserve, o BC americano, informou nesta quinta-feira em Buenos Aires o secretário de Finanças, Hernán Lorenzino.

O embargo havia sido determinado na terça-feira pelo juiz Thomas Griesa, em Nova York. O magistrado decidiu, agora, dar um tempo às partes para chegarem a um acordo.

O juiz Griesa tomou a decisão de embargar a conta do BC da Argentina a pedido de detentores de papéis da dívida reunidos em dois fundos, o NML, Capital Ltd. e o EM Ltd, que não aceitaram participar da negociação da dívida de 2005.

A conta do BCRA no Fed é usada para a compra de dólares em outras entidades. Ontem, ela esteve inoperante.

A presidente Cristina Kirchner havia reagido num primeiro momento à decisão do juiz federal americano Thomas Griesa de congelar parte das reservas do Banco Central argentino nos Estados Unidos, afirmando que não é possível que detentores de "fundos podres" tenham a "cumplicidade de funcionários argentinos para se apoderar dos fundos do Estado nacional, do povo".

"Parece que os (detentores de) fundos podres têm escritórios e representantes em Buenos Aires, inclusive dentro dos órgãos do Estado, e parece que estão defendendo os interesses dos fundos podres", disse por sua vez o ministro da Economia, Amado Boudou, em clara referência a Martín Redrado, destituído por Kirchner mas mantido no cargo por decisão da Justiça argentina.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host