UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/01/2010 - 16h28

Obama quer taxar 50 bancos para compensar custo do plano de resgate

O presidente Barack Obama se declarou nesta quinta-feira determinado a garantir que os americanos recuperem cada centavo perdido no pacote de socorro aos bancos que, por sua vez, se preparam a pagar bônus a seus altos executivos, uma iniciativa qualificada de obscena pelo chefe de Estado.

"Estou determinado a recuperar cada centavo devido ao povo americano, e minha determinação fica ainda maior quando vejo informações sobre lucros enormes e bônus obscenos nas mesmas empresas que devem sua sobrevivência ao povo americano", que por sua vez continua sofrendo com a recessão, disse Obama, em intervenção transmitida ao vivo pela TV.

O presidente anunciou a taxação de 50 grandes bancos e instituições financeiras para recuperar os bilhões dos contribuintes destinados ao resgate do setor.

A taxa seria aplicada aos bancos e instituições com mais de 50 bilhões de dólares de ativos. São empresas essencialmente americanas, mas também há algumas filiais estrangeiras.

A proposta, que deverá ser incluída no projeto de orçamento federal para o exercício 2010-2011, que começa em outubro, foi anunciada no momento em que milhares de empresas resgatadas com fundos públicos pretendem anunciar grandes pagamentos a altos executivos num momento de crise econômica e forte desemprego.

Ela ainda deverá obter o aval do Congresso americano. Os bancos já indicaram que farão de tudo para impedir a aprovação da medida.

"Esta taxa é uma tentativa prematura de recuperar o dinheiro dos contribuintes, quando a lei prevê que o setor financeiro ainda tem quatro anos para fazê-lo", escreveu em comunicado o Financial Services Roundtable, sindicato patronal do setor financeiro.

O título da iniciativa, "Taxa de Responsabilidade na Crise Financeira", é um esquema elaborado para reunir 90 bilhões de dólares em 10 anos, destinados às finanças públicas, destacou mais cedo um alto funcionário do governo, que não quis ser identificado.

Obama está decidido a evitar que as empresas da Wall Street retomem a antiga prática de fazer empréstimos de alto risco e apostar nas hipotecas e em outros instrumentos, prática que foi apontada como a causa do início da crise financeira.

"É ofensivo os dirigentes de nossas principais instituições financeiras sugerirem que podem, agora, pagar bônus excessivos, geralmente desproporcionais, a seus altos executivos, e não podem devolver o dinheiro dos contribuintes", disse a fonte do governo.

"Nos parece uma taxa factível, que respalda o objetivo de impor cargas mais pesadas e menos incentivos ao excessivo tamanho e à excessiva alavancagem", acrescentou.

O governo de Obama destacou em várias ocasiões que pretende recuperar completamente os recursos do programa de alívio de ativos 'podres' TARP, composto por 700 bilhões de dólares e também utilizado para resgatar as montadoras.

O plano de resgate americano foi aprovado pelo Congresso em outubro de 2008.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host