UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

29/01/2010 - 10h40

Bin Laden pede boicote ao dólar e acusa os riscos pelo aquecimento global

O líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, acusou as nações industrializadas de serem as responsáveis pelo aquecimento global, e pediu o boicote ao dólar para pôr fim à "escravidão americana", em uma mensagem de áudio divulgada nesta sexta-feira pela rede Al-Jazeera.

"Todas as nações industrializadas, principalmente as grandes nações, são responsáveis pelo aquecimento global", disse Osama bin Laden em uma nova mensagem de áudio, a segunda em cinco dias, segundo a rede de televisão do Qatar.

A autenticidade da mensagem não pode ser confirmada por fontes independentes.

Nessa mensagem de teor incomum e provavelmente divulgada por ocasião do Fórum Econômico Mundial, Bin Laden alertou sobre o impacto do aquecimento global dizendo que "discutir a mudança climática não é um luxo intelectual, mas uma realidade".

"Essa mensagem é destinada a todas às pessoas que são responsáveis pelas mudanças climáticas, que tenham feito de maneira deliberada ou não, e à forma como devemos proceder para combater isso", afirmou Osama bin Laden.

"Discutir as mudanças climáticas não é um tema intelectual", insistiu o líder da Al-Qaeda, que raramente menciona nessas mensagens as questões ambientais.

Neste contexto, ele denunciou o governo norte-americano do presidente George W. Bush por não ter assinado o Protocolo de Kyoto sobre mudanças climáticas. O Protocolo, assinado em 1997, continua sendo o único tratado internacional vinculante contra o aquecimento.

"Bush filho e o congresso americano rejeitaram esse protocolo, com o objetivo de satisfazer (os interesses) das grandes empresas", afirma Bin Laden na mensagem.

"Devemos parar de utilizar o dólar e nos desfazermos dele. Sei que isso teria repercussões enormes, mas seria o único meio de libertar a humanidade da escravidão da América e dessas companhias", indica.

No dia 24 de janeiro, o líder da Al-Qaeda havia reivindicado o atentado frustrado contra um avião norte-americano no Natal e ameaçou os Estados Unidos com novos ataques se continuassem apoiando Israel, em uma curta gravação de áudio.

Ele prestou homenagem aos "herois" Umar Faruk Abdulmutallab, o jovem nigeriano que tentou explodir o avião que realizava um voo entre Amsterdã e Detroit.

"De Osama para Obama: a mensagem emitida pelo herói Umar Faruk Abdulmutallab confirma as mensagens anteriores enviadas pelos heróis do 11 de setembro e pelos que vieram depois", afirmou Bin Laden, em sua primeira mensagem áudio desde o dia 25 de setembro.

"Nossos ataques vão continuar até que vocês parem de apoiar os israelenses", acrescentou, dirigindo-se aos Estados Unidos.

Para o presidente Barack Obama, esse vídeo de Bin Laden mostra que a rede terrorista está enfraquecida, afirmou o

"Não nenhuma dúvida de que ainda existe uma ameaça terrorista real", afirmou o presidente, destacando, no entanto, que a "Al-Qaeda está muitíssimo enfraquecida em comparação a 2000".

"O fato de que Bin Laden envie uma gravação na qual tenta atribuir a si mesmo o mérito de um atentado realizado por um estudante nigeriano é um prova de como está enfraquecido, já que a operação não foi algo dirigido por ele mesmo", destacou.

"Posso dizer isso aos americanos: desde 11 de setembro colocamos em andamento uma série de medidas de inteligência, defesa e segurança nacional, que reforçaram nossa segurança", acrescentou.

Também esclareceu que, desde o atentado fracassado de 25 de dezembro, foram localizadas certas carência que devem ser sanadas.

"Muitas coisas foram sanadas imediatamente, mas alguns, como se assegurar que uma informação obtida por uma agência deve ser comunicada a outra, faz parte das coisas que devem ser constantemente melhoradas. E aprendemos constantemente a fazer isso melhor", afirmou, por fim.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host