UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/02/2010 - 09h25

Pentágono persiste na decisão de vender armas a Taiwan

O governo dos Estados Unidos tem a obrigação de assegurar a capacidade de autodefesa de Taiwan e continuará fazendo isto no futuro, declarou nesta segunda-feira uma alta fonte militar americana, em resposta aos protestos da China.

O Pentágono anunciou na sexta-feira que os Estados Unidos venderão a Taiwan mísseis antimísseis Patriot, navios rastreadores de minas submarinas e helicópteros Black Hawk, por um valor total superior a 6,4 bilhões de dólares.

A China, que reivindica a soberania sobre a ilha de Taiwan, reagiu de maneira dura contra o que chamou de "interferência grosseira nos assuntos internos chineses".

Neste contexto, suspendeu os intercâmbios militares com os Estados Unidos e anunciou "sanções apropriadas às empresas americanas envolvidas".

Durante uma visita a Tóquio, o secretário adjunto americano para a Defesa na Ásia-Pacífico, Wallace Gregson, recordou que os Estados Unidos devem "assegurar a capacidade de autodefesa de Taiwan".

"Temos a firme intenção de respeitar cada um de nossos compromissos e vamos seguir atuando assim no futuro", disse.

"Temos uma relação muito complexa com a China. Nosso objetivo é manter relações cordiais, uma relação de cooperação com a China. Evidentemente, há pontos em que discordamos, tentamos separá-los daqueles em que podemos trabalhar de maneira produtiva", acrescentou.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host