UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 12h27

França tem maior índice de desemprego em 10 anos

O índice de desemprego registrou forte aumento na França no quarto trimestre de 2009, a 9,6% da população ativa, o pior nível em uma década.

O desemprego chega a 10% se forem levados em consideração os departamentos franceses de ultramar.

"O índice de desemprego teve um forte aumento e voltou ao nível de 1999", afirma um comunicado do Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos Econômicos (INSEE).

Em dezembro do ano passado, mais de 2,7 milhões de pessoas procuravam emprego na França, indicou o INSEE.

No terceiro trimestre de 2009, o índice era de 9,1%.

A França saiu no ano passado da recessão provocada pela crise econômica e financeira mundial, mas a situação no mercado de trabalho continua grave.

Além do aumento do índice, atenuado em parte por medidas do governo, o INSEE registrou um forte aumento do desemprego entre os jovens de entre 15 e 24 anos que concluíram ou abandonaram os estudos básicos, e dos quais 25,3% não tinham emprego no final de 2009.

Embora historicamente as mulheres tenham mais dificuldades para encontrar trabalho, pela primeira vez o índice de desemprego masculino foi igual ao feminino.

No entanto, as mulheres continuam mais expostas a pequenos trabalhos e à pobreza.

Os economistas e o governo concordam ao afirmar que o desemprego continuará crescendo até meados de 2010.

Segundo Mathieu Plane, economista do Observatório francês de Conjunturas Econômicas (OFCE), "no campo social, o mais duro está por vir, porque o desemprego vai continuar aumentando, de maneira menos rápida do que antes, mas os novos desempregados se somam aos velhos e cada vez mais pessoas chegarão ao final de seus auxílios".

A reativação do mercado de trabalho sempre ocorre com uma defasagem de tempo relacionada à recuperação da atividade econômica, e passará, a princípio, pelos empregos temporários.

Neste sentido, e pela primeira vez em vinte meses, o número de contratos temporários aumentou levemente em fevereiro, de acordo com o setor, que menciona um "leve movimento" e não ainda uma reativação.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host