UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 15h14

Ecologistas criticam Obama por autorizar prospecção marítima de petróleo

Os defensores do meio ambiente criticaram nesta quarta-feira, dia 31, a decisão do presidente Barack Obama de abrir a prospecção de petróleo e gás de vastas zonas ao longo do litoral dos Estados Unidos.

Obama anunciou nesta quarta-feira a abertura à exploração petrolífera de novas zonas na costa , afirmando que essa "difícil" decisão foi motivada pela necessidade de assegurar a independência energética dos Estados Unidos.

"Nós estamos decepcionados por ter importantes zonas como a da costa ártica e a do Atlântico abertas à exploração de petróleo", declarou em comunicado Michael Brune, diretor geral do Sierra Club, a mais importante organização americana de defesa do meio ambiente.

"O que nos falta são medidas decisivas permitindo o desenvolvimento de fontes de energia 'verde', como as novas regulamentações sobre os carros não poluentes, anunciados nesta semana, mas não novas explorações no mar, contaminantes e caras", completou.

A industria petrolífera já teve acesso a milhões de hectares de terras e água federais e "não é necessário ceder as últimas zonas costeiras públicas protegidas para que essas companhias ganhem mais ainda", julgou Michael Brune.

Ele adverte contra o fato de a exploração petrolífera no Ártico ameaçar as baleias e os ursos polares.

Além disso, afirma esse representante do Sierra Club, "explorar nossa zonas costeiras não contribuirá para baixar o preço do combustível ou reduzir a dependência energética americana do estrangeiro".

Para Phil Radford, diretor geral do Greenpeace, a decisão de Obama fará "aumentar a dependência da América por petróleo, enquanto a China e a Alemanha caminham para a energia renovável".

Além disso, "intensificar a exploração offshore nessas zonas protegidas há décadas ameaça manchar de negro nossos oceanos e as comunidades costeiras", continuou em comunicado.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host