UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 22h33

Vale negocia com siderúrgicas aumento pelo minério de ferro

As difíceis negociações sobre o reajuste do preço do minério de ferro, componente essencial do aço, ainda prosseguem, informou nesta quarta-feira a Vale do Rio Doce, que trabalha para convencer a siderúrgica Nippon Steel a pagar muito mais pelo produto.

A imprensa japonesa revelou que a Nippon Steel aceitou pagar 90% a mais pelo minério de ferro, mas o grupo japonês não comentou a informação e a Vale disse que as negociações ainda prosseguem.

O acordo também acabaria com o antigo sistema de negociação em que o preço do minério de ferro era acertado apenas uma vez por ano, passando a reajustes trimestrais.

O atual contrato sobre os preços vence em 1º de abril.

Segundo a agência Dow Jones Newswires, o sul-coreano Posco também aceitou o aumento exigido pela Vale, levando em conta a alta do preço do minério de ferro num mercado estimulado pelo apetite chinês pelo aço.

A Vale destacou que não fez qualquer comunicado ao mercado sobre reajuste de preços. "Quando a Vale tiver alguma coisa para anunciar, o fará", disse à AFP um assessor do grupo brasileiro.

Mas o presidente da Vale, Roger Agnelli, estimou na segunda-feira que reajustes trimestrais "serão mais vantajosos" para clientes e fornecedores.

Segundo Agnelli, os novos contratos, com o sistema de revisão de tarifas trimestral, serão firmados em abril. "O mercado mudou e falta minério de ferro".

Agnelli não falou sobre resultados nas negociações sobre preços.

Caso a notícia do reajuste se confirme, esses acordos farão a tonelada de minério de ferro ultrapassar os 100 dólares, um preço contratual recorde que pode repercutir tanto no aço, como nas latas de conserva ou peças de automóveis.

Mas, além do preço, é o próprio sistema de pagamento que se vê questionado, já que o grupo minerador anglo-australiano BHP Billiton anunciou nesta terça-feira que já não estabelecerá seus contratos na forma anual e sim em períodos mais curtos.

Na forma tradicional, as companhias siderúrgicas negociam na primavera europeia com os grupos mineradores contratos que estabelecem o preço que pagarão para se abastecer de minério de ferro até o dia 31 de março do ano seguinte.

Os preços acertados pelas siderúrgicas japonesas e sul-coreanas servem, no geral, de referência para o resto do mercado.

O anúncio de BHP Billiton, encarado como uma vitória do grupo em relação a seus clientes chineses favoráveis a contratos longos e que limitam as oscilações dos preços, acontecem um dia depois do veredicto no processo de quatro empregados da mineradora anglo-australiana Rio Tinto em Xangai.

Acusados de corrupção e espionagem industrial que "prejudicam de forma grave a concorrência das siderúrgicas chinesas", foram condenados a duras penas de prisão.

Em meio a uma batalha cada vez mais feroz entre ambas as partes, a associação de siderúrgicas europeias Eurofer anunciou a apresentação de uma denúncia à Comissão Europeia por suspeitas de acordo ilegal entre os três grandes grupos mineiros, Vale e os anglo-australianos Rio Tinto e BHP Billiton, que repartem entre si os 70% do mercado do minério de ferro.

"Não temos provas de existência de um cartel, mas há alguma coisas um pouco estranhas", afirmou o diretor-geral da Eurofer, Gordon Moffat.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host