UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/04/2010 - 13h41

Zona do Euro estabelece termos de ajuda de 30 bilhões de euros à Grécia

Os 16 países da Zona do Euro estabeleceram neste domingo os termos de uma ajuda financeira à Grécia, através de empréstimos bilaterais, que somariam até 30 bilhões de euros num primeiro ano, com taxas de juros de cerca de 5%, anunciou o dirigente das Finanças da União Europeia, Jean-Claude Juncker.

A decisão foi logo saudada pela Grécia.

Depois de uma videoconferência interministerial, Juncker explicou, em entrevista à imprensa em Bruxelas que "todos os Estados membros (da zona euro) participarão" deste mecanismo de auxílio.

"O total assumido pelos Estados membros no primeiro ano se elevará a 30 bilhões de euros, uma cifra que deve ser completada e cofinanciada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI)", explicou.

Apesar de Juncker não ter especificado qual seria o aporte do FMI, tudo leva a crer que poderia representar 15 bilhões de euros (20 bilhões de dólares) para o primeiro ano, o que equivaleria a um terço da ajuda total.

"Os montantes para os anos seguintes serão determinados posteriormente, em função da evolução da situação financeira grega", explicou.

Os líderes da Zona do Euro já haviam aprovado no final de março as linhas gerais de um plano de ajuda, baseado em empréstimos bilaterais combinados com um apoio financeiro do FMI.

A Grécia passa por uma crise financeira sem precedentes, motivo de grande nervosismo nos mercados.

A agência internacional de classificação financeira Fitch já havia reduzido a nota da dívida a longo prazo da Grécia de "BBB+" a "BBB-" em função do aumento do déficit orçamentário enfrentado pelo governo desse país.

A notação representava uma segunda advertência à situação do país membro da Eurozona.

As outras duas grandes agências de classificação de risco, Moody's e Standard and Poor's, também rebaixaram a nota da dívida da Grécia de "A1" a "A2" e de "A-" a "BBB+".

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host