UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/04/2010 - 18h34

Senado argentino aprova designação de Marcó del Pont para o BC

O Senado argentino aprovou nesta quarta-feira a designação da economista keynesiana Mercedes Marcó del Pont - que apoia a postura do governo de pagar a dívida pública com reservas monetárias - para comandar o banco central do país.

O bloco governista, que responde à presidente peronista social-democrata Cristina Kirchner, conseguiu a aprovação da nomeação de Mercedes por 35 votos a favor e 34 contra, na única câmara que tem a faculdade constitucional de avaliar as propostas de candidatos para a entidade que rege o setor financeiro.

A economista, que ocupava o cargo de forma interina, defendeu em toda sua carreira pública posições desenvolvimentistas, antineoliberais e favoráveis a uma maior intervenção do Estado na economia, com linhas de crédito para as pequenas e médias empresas.

Kirchner lançou em dezembro passado a iniciativa de pagar a dívida com reservas monetárias, o que provocou uma crise com o então presidente do Banco Central, Martín Redrado, posteriormente removido do cargo e substituído provisoriamente por Marcó del Pont.

A oposição de radicais social-democratas, liberais cristãos, direitistas e peronistas dissidentes resistiu na Justiça ao uso das reservas para cancelar a dívida, mas o governo conseguiu luz verde nos tribunais de alçada.

No entanto, na madrugada de quarta-feira, a oposição na Câmara dos Deputados rejeitou o decreto que autorizava os pagamentos e o debate foi transferido para o Senado.

Enquanto isso, a Argentina cancelou o pagamento de um bônus de 203 milhões de dólares com reservas do Banco Central que, por sua ez, possui 47 bilhões.

O governo conseguiu, no entanto, que o BC lhe transferisse em torno de 4,3 bilhões de dólares para efetuar outros pagamentos da dívida pública previstos para este ano.

A Argentina deve pagar, em 2010, 15 bilhões de dólares da dívida.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host