UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/04/2010 - 14h21

Após Grécia e Portugal, agência de risco rebaixa nota da Espanha

A agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixou a nota da dívida soberana da Espanha nesta quarta-feira de "AA+" para "AA", e advertiu que poderá revisá-la novamente para menos, segundo comunicado publicado um dia depois de Grécia e Portugal terem seus ratings reduzidos pela agência.

A S&P justifica a decisão citando a situação econômica ruim da Espanha, que pesa sobre as finanças públicas do país, enquanto diversas nações da zona do euro, entre elas a própria Espanha, deixam incertezas nos mercados no que se refere à situação de seu déficit, fazendo temer um efeito de contágio da crise grega.

A agência reduziu a nota da dívida de longo prazo da Espanha de "AA+" a "AA", mantendo a perspectiva negativa sobre a economia.

"Consideramos que o crescimento real do PIB (espanhol) ficará na média de 0,7% interanual em 2010-2016, ante uma previsão anterior superior a 1% interanual", declarou a S&P em comunicado.

"Nossa conclusão é que as condições econômicas adversas no médio prazo vão aumentar a pressão sobre as finanças públicas espanholas, e provavelmente serão necessárias medidas adicionais para apoiar a estratégia do governo de consolidação fiscal e para o programa de reformas estruturais previsto", segundo o comunicado.

Na terça-feira, a S&P tinha rebaixado a nota de Portugal de "A+" para "A-", com perspectiva negativa. A agência afirmava nesse caso que as finanças públicas portuguesas estão "estruturalmente frágeis, apesar das importantes reformas estruturais no setor públicos nos últimos anos".

A agência também tinha reduzido em três níveis a nota da Grécia, de "BBB+" para "BB+", levando o país à categoria de investimento especulativo devido aos "desafios políticos, econômicos e orçamentários aos quais terá de fazer frente em suas iniciativas de conseguir uma redução permanente de sua dívida".

A Bolsa de Madri, que caía em torno de 1% pouco antes do anúncio do rebaixamento da Espanha, fechou com baixa de 2,99%, enquanto o anúncio do rebaixamento de Portugal e Grécia tinha causado queda de 4,19% do índice Ibex-35, que agrupa as principais ações da Bolsa de Madri, na terça-feira.

Portugal e Espanha são dois países geralmente citados pelos especialistas como potenciais vítimas de um efeito dominó da crise grega na zona do euro.

O déficit público grego, de ao menos 13,6% do PIB em 2009, perturba os mercados há várias semanas. O déficit de Portugal está em 9,4% do PIB, e o da Espanha, em 11,2%, segundo a Eurostat.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host