UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/05/2010 - 18h01

Wall Street fecha em queda em meio a temores sobre Espanha

NOVA YORK, 24 Mai 2010 (AFP) -A Bolsa de Nova York fechou em baixa nesta segunda-feira, em um pregão lento, marcado pela crise na zona do euro e, particularmente, por preocupações em relação à Espanha. O Dow Jones fechou em queda de 1,24% e o Nasdaq, de 0,69%.

Segundo dados definitivos de fechamento, o Dow Jones Industrial Average perdeu 126,82 pontos, para 10.066,57 pontos, e a bolsa eletrônica Nasdaq teve queda de 15,49 pontos, para 2.213,55 pontos.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 perdeu, por sua vez, 1,29% (14,04 pontos), para 1.073,65 pontos.

A tendência manteve-se indefinida durante grande parte do pregão, até que os índices caíram na última hora de operações.

"As inquietações são sempre as mesmas, mas esta pareceu uma sessão de descanso, quando o investidor recupera o fôlego", constatou Scott Marcouiller, da Wells Fargo Advisors.

"Os investidores deram um passo atrás, o volume de operações é baixo", completou. "As pessoas continuam em estado de choque, o que é compreensível. O Dow (Jones) pedeu 1.000 pontos em algumas sessões, isso é suficiente para mexer com qualquer um", completou.

Apenas na semana passada, o principal índice da praça nova-iorquina caiu 4%, limitando sua queda graças à recuperação de sexta-feira (alta de 1,25%).

"O mercado parece incapaz de manter o impulso de sexta-feira", observou Craig Peckham, da corretora Jefferies. "É sempre a mesma história: a crise da dívida na Europa afeta os ativos de risco."

Os temores dos investidores estão focados na situação financeira da Espanha, onde o banco central teve de resgatar no sábado a Cajasur, uma instituição financeira do sul do país, que era controlada pela Igreja Católica.

"O temor em relação a um efeito dominó ressurge", afirma John Wilson, da Morgan Keegan. "Infelizmente, parece que é cedo para festejar" o fim da crise.

Em relação aos indicadores da economia americana, as vendas de imóveis usados subiram mais que o previsto em abril (alta de 7,6% em relação a março), impulsionadas pelos incentivos fiscais dados a compradores, que expiraram.

O mercado obrigatório caiu. O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos subiu para 3,227% contra 3,200% na noite de sexta-feira, e o dos títulos de 30 anos foram a 4,104% contra 4,065%. O rendimento das obrigações evolui no sentido oposto a seus preços.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host