UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/06/2010 - 17h43

BP aceita criar fundo de US$ 20 bi para indenizar vítimas de vazamento

WASHINGTON, 16 Jun 2010 (AFP) -O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conseguiu nesta quarta-feira que os dirigentes da BP, convocados na Casa Branca, aceitassem criar um fundo de 20 bilhões de dólares para indenizar as vítimas da mancha de óleo que se estende no Golfo do México.

"Fico contente em anunciar que a BP concorda em colocar 20 bilhões de dólares em uma conta para responder aos pedidos de indenização por esta contaminação", disse Obama depois de uma audiência de mais de quatro horas com dirgentes da empresa britânica, na Casa Branca.

"Esses 20 bilhões de dólares darão a segurança necessária para que as exigências de pessoas e empresas sejam honradas", disse Obama, completando que "é importante destacar que isso (o montante do fundo) não é um teto" e que a cifra poderá aumentar.

"Dou minha palavra à população do Golfo (do México), a BP assumirá suas obrigações", afirmou o presidente, qualificando a reunião com os diretores da BP de "construtiva".

A BP também aceitou a criação de outro fundo de 100 milhões de dólares destinado aos operários do setor de petróleo despedidos por conta da mancha de óleo, informou o presidente.

Segundo um alto funcionário da Casa Branca, Obama passou 20 minutos com os diretores da BP, no início da reunião, da qual participaram diversos de seus assessores, e 25 minutos mais, no final desta, com o presidente da empresa, Carl-Henric Svanberg, no Salão Oval.

Depois das declarações de Obama, Svanberg confirmou diante dos jornalistas, fora da Casa Branca, que seu grupo tinha aceitado criar o fundo de 20 bilhões de dólares e revelou que a BP suspenderá o pagamento de dividendos a seus acionistas este ano.

Os 20 bilhões de dólares serão supervisionados pelo advogado Kenneth Feinberg, que havia sido encarregado das indenizações às vítimas do 11 de setembro, segundo afirmou à AFP uma fonte próxima ao tema.

A conta será gerida de forma independente durante vários anos com o objetivo de responder aos pedidos de indenização de indivíduos e empresas afetados pela catástrofe.

Na noite de terça-feira, em um discurso à nação feito no Salão Oval, Obama denunciou "a inconsistência" da BP, que é acusada nos Estados Unidos de ter tomado riscos em sua gestão da plataforma Deepwater Horizon, que explodiu em 20 de abril, a 80 km da costa americana.

A BP afirmou na segunda-feira já ter gastado 1,6 bilhão de dólares para lutar contra as consequências da catástrofe, mas especialistas afirmam que o custo final poderá chegar a 100 bilhões de dólares.

Na terça-feira, as autoridades revisaram para cima o nível de contaminação, estimando que até 60.000 barris de petróleo estão sendo derramados diariamente no mar, ou seja, 50% mais que o estimado anteriormente.

São então de 300 milhões a 500 milhões os litros de hidrocarbonetos que vazaram do poço há oito semanas da explosão da plataforma.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host