UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/08/2010 - 20h09

Obama: republicanos oferecem apenas 'cinismo' e 'medo'

MIAMI, 18 Ago 2010 (AFP) -Barack Obama acusou nesta quarta-feira seus adversários republicanos de oferecerem apenas "o cinismo" e "o medo" aos americanos, fortalecendo seu discurso de campanha a dois meses e meio das eleições legislativas, que decidirão sua margem de manobra na Casa Branca.

Concluindo nesta quarta-feira à noite em Miami (Flórida, sudeste) uma viagem pelos Estados Unidos com forte teor eleitoral que o levou a cinco estados em três dias, Obama atacou seus adversários na questão do déficit orçamentário federal.

A política seguida pelos republicanos quando estavam no poder na Casa Branca durante oito anos até o início de 2009 foi marcada passou de "excedentes recordes a déficits recordes", afirmou durante uma reunião em defesa dos candidados democratas nas eleições de 2 de novembro.

"Essa gente (os republicanos) afirma agora que os democratas são o partido gastador", disse o presidente, ironizando o "déficit de 1,3 bilhão de dólares que o esperava "num embrulho quando cheguei à Casa Branca", quando o presidente democrata Bill Clinton deixou o governo com um excedente para George W. Bush no início de 2001.

"Sei que o momento é duro", havia reconhecido Obama em um comício democrata em Columbus (Ohio) para o levantamento de recursos para a campanha de reeleição do governador desse Estado que, como a Flórida, é considerado estratégico no mapa eleitoral americano.

"E quando o momento é duro, pode ser fácil se deixar levar pelo cinismo, fácil se deixar levar pelo medo, rever nossas ambições para baixo, colocar as pessoas umas contra as outras", havia afirmado o presidente.

Os republicanos "contam com isso. Eles não oferecem novos projetos, novas ideias. Eles oferecem apenas cinismo, eles oferecem medo. Mas não somos assim, esse não é o país que conheço", exclamou o presidente.

"Não temos medo do futuro, nós o definimos", acrescentou, depois de ironizar novamente a obstrução pregada, segundo ele, pelos republicanos no Congresso, assegurando que o lema de seus adversários é "no, we can't" (não podemos), em oposição ao "yes, we can" de sua campanha em 2007-2008.

Os democratas possuem atualmente a maioria nas duas câmaras do Congresso. Os republicanos esperam aproveitar com o descontentamento dos americanos com os resultados econômicos do governo Obama, em um momento de desemprego elevado.

Obama deve voltar a Washington nesta quarta-feira à noite, antes de viajar na quinta-feira de manhã para Martha's Vineyard, ilha exclusiva de Massachusetts (nordeste) onde passará 10 dias de férias com a família.
Hospedagem: UOL Host