UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/09/2010 - 17h40

Bird: matérias-primas podem ser chave para desenvolvimento latino-americano

MIAMI, 13 Set 2010 (AFP) -A abundância de matérias-primas pode significar para os países da América Latina e do Caribe uma grande oportunidade de desenvolvimento e prosperidade, fruto da crescente demanda dos mercados asiáticos, indicou o Banco Mundial em um relatório apresentado nesta segunda-feira em Miami.

A constante demanda de minerais e matérias-primas agrícolas por parte dos países da Ásia, em especial a China, contribuiu para o crescimento econômico e para que a região conseguisse superar a recente crise econômica global, aponta o relatório anual regional do Banco Mundial, entitulado "Recursos naturais na América Latina e Caribe: mais além do ciclo de auge e queda?".

O estudo destaca que, embora tradicionalmente tenham sido consideradas uma espécie de 'maldição' para o desenvolvimento dos países, uma significativa mudança no comércio de matérias-primas ocorreu na América Latina quando os países deixaram de exportá-las às nações ricas para vendê-las às economias emergentes.

Como exemplo, o relatório destaca que a participação dos Estados Unidos como destino das exportações regionais caiu de 44% em 1990 para 37% em 2008. Paralelamente, as vendas para a China cresceram mais de dez vezes no mesmo período: de 0,8% para 10% das exportações totais de matérias-primas.

Administrar adequadamente os abundantes lucros provenientes desta recuperação, impulsionada pelas matérias-primas, pode ajudar América Latina e Caribe a aproveitar esta oportunidade, proporcionando maior espaço fiscal aos governos e servindo diretamente como uma plataforma de crescimento, argumenta o Bird.

"Considerando que a demanda asiática de exportações como a soja argentina, o minério de ferro brasileiro, o cobre chileno, o pescado e minerais peruanos e outras matérias-primas latino-americanas se mantenha, a região estará em uma posição invejável para poder se beneficiar de seus recursos naturais", estimou Augusto de la Torre, economista chefe para a América Latina e o Caribe do Bird.
Hospedagem: UOL Host