! Hong Kong anuncia pacote de ajuda a bancos - 01/10/2008 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/10/2008 - 09h00

Hong Kong anuncia pacote de ajuda a bancos

Marina Wentzel

De Hong Kong para a BBC Brasil
O banco central de Hong Kong anunciou na noite de terça-feira um pacote para aliviar a pressão sobre os bancos em meio à crise financeira.

O órgão determinou cinco medidas para dar maior liquidez aos bancos, que sofreram grandes perdas com a recente turbulência nos mercados internacionais.


Essencialmente o pacote facilita empréstimos do governo às instituições e estende prazos de quitação.

O pacote vem após o Congresso americano ter rejeitado na segunda-feira legislação que garantiria US$ 700 bilhões em socorro a Wall Street.

A negativa do Congresso fez o índice Dow Jones perder 777 pontos na sessão de segunda-feira e causou tendência negativa nas Bolsas da Ásia, que operaram no começo da terça-feira em forte queda.

No final do dia, porém, houve recuperação e o Hang Seng de Hong Kong fechou o pregão na terça em alta de 0,79%.

Nova York também se recuperou na terça após o presidente George W. Bush fazer um discurso televisionado prometendo aprovar a legislação necessária para socorrer os mercados.

Ainda não se sabe como os investidores na Ásia reagirão ao anuncio da autoridade financeira de Hong Kong, pois as bolsas da China estão fechadas nesta quarta-feira por conta do feriado do dia nacional.

Medidas
As cinco medidas anunciadas pela Autoridade Monetária de Hong Kong têm caráter de exceção emergencial e serão válidas até o fim de março do ano que vem.

Para dar margem de liquidez ao bancos, o governo vai passar a prover empréstimos aceitando como garantia ativos em hipotecas.

Os bancos também poderão passar a utilizar ativos denominados em dólares americanos (como títulos do Tesouro americano) como garantia para conseguir empréstimos emergenciais no overnight.

Antes, apenas ativos denominados em dólares de Hong Kong eram aceitos.
Esses empréstimos feitos no overnight terão a validade estendida de 24 horas para até três meses e não serão cobrados juros de penalidade, como era a prática antes.

Alem disso, os bancos podem, à partir de agora, vender diretamente à autoridade monetária dólares americanos em troca de dólares de Hong Kong, uma ação que antes não era permitida apesar de a moeda de Hong Kong ter seu lastro no dólar americano.

Há rumores de que o governo ainda estuda intervir no mercado financeiro para proibir a prática da venda especulativa antecipada de ações que se beneficia da tendência de queda, numa manobra conhecida no jargão financeiro pelo termo de "short selling".

O governo não confirmou esses rumores e até terça-feira não havia feito uma intervenção na bolsa.

O pacote de medidas foi anunciado poucos dias após Hong Kong testemunhar uma corrida ao Banco do Leste da Ásia (Bank of East Asia) que abalou a estabilidade da instituição.

Rumores espalhados via mensagens de texto fizeram milhares de clientes do BEA correr às agências na quarta-feira passada para retirar suas economias.

O desespero dos clientes só teve fim no momento em que o governo afirmou que a saúde financeira do BEA estava garantida.

Foi para evitar a repetição de cenas como essa que a Autoridade Monetária de Hong Kong decidiu abrir crédito aos bancos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host