! UE quer ampliar garantia de depósitos bancários para 100 mil euros - 15/10/2008 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/10/2008 - 12h10

UE quer ampliar garantia de depósitos bancários para 100 mil euros

Marcia Bizzotto

De Bruxelas para a BBC Brasil
A Comissão Européia, órgão Executivo da União Européia, propôs nesta quarta-feira ampliar para 100 mil euros a garantia mínima para os depósitos em contas bancárias privadas no caso de falência de um banco do bloco, em uma iniciativa para melhorar a confiança dos cidadãos diante da crise financeira.

Esse limite já havia sido ampliado de 20 mil para 50 mil euros na semana passada e algumas das maiores economias européias - França, Alemanha, Itália e Espanha - anunciaram garantias ainda mais generosas.


"Aumentar essa proteção mínima fortalecerá a confiança dos europeus em relação à segurança de seus depósitos", justificou o comissário europeu de Mercado Interior, Charlie McCreevy.

Além do novo piso para a garantia, que entraria em vigor dentro de um ano, Bruxelas propõe também reduzir para três dias o prazo que os governos têm para reembolsar os clientes de um banco falido, um processo que hoje pode durar entre três e nove meses.

Sistema de garantias
Os países teriam a obrigação de reembolsar a totalidade dos depósitos que não ultrapassem o limite estabelecido, outra mudança no sistema de garantias, que atualmente permite limitar a cobertura a 90 % do valor que possui cada cliente.

As mudanças nas regras que regem os sistemas de garantias para depósitos na UE foram solicitadas pelos 27 países do bloco que, em meio ao agravamento da crise, consideram necessário fazer adaptações às normas vigentes desde 1994.

De acordo com dados do Executivo europeu, uma garantia de 100 mil euros permitiria assegurar 90% dos depósitos existentes na UE.

O mínimo atual, de 50 mil euros, garante 80% dos depósitos feitos no bloco, uma cobertura que não passava de 65% dos depósitos com o mínimo anterior, de 20 mil euros.

As propostas serão debatidas durante a cúpula de dois dias que os governantes europeus iniciam nesta quarta-feira em Bruxelas, mas ainda devem ser aprovadas pelo Parlamento Europeu antes de ser submetidas a votação pelos 27 países membros do bloco.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host