! Análise: impacto de crise financeira no setor automobilístico se acentua - 06/11/2008 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

06/11/2008 - 10h20

Análise: impacto de crise financeira no setor automobilístico se acentua

Dados divulgados pelo setor automobilístico do Japão e Grã-Bretanha indicam um impacto cada vez maior da crise financeira global na demanda por veículos.

A principal montadora japonesa de veículos, Toyota, reduziu sua previsão de lucros líquidos de 559 bilhões de ienes (cerca de US$ 5,69 bilhões) para o ano que termina em 31 de março de 2009, de uma projeção anterior de 1,25 trilhão de ienes.

Em anúncio, nesta quinta-feira, a empresa previu ainda uma redução de 69% nos lucros para o trimestre que termina em setembro.

A Toyota foi especialmente atingida pela desaceleração da economia americana com a redução da demanda dos consumidores. A queda nos lucros ocorre apesar das inovações da companhia ligadas com maior eficiência no aproveitamento do combustível e carros híbridos que conquistaram muitos clientes novos quando o preço do petróleo disparou.

Mas a Toyota ainda não está apresentando prejuízos, como suas concorrentes americanas. General Motors, Ford e Chrysler devem conversar com autoridades do governo americano nesta quinta-feira sobre o impacto da atual crise econômica e podem pedir ajuda para evitar mais perdas, de acordo com o correspondente da BBC em Tóquio, Duncan Bartlett.

Grã-Bretanha Na Grã-Bretanha, a venda de carros novos em outubro registrou a sua maior queda em 17 anos, de acordo com dados divulgados pela Sociedade de Fabricantes e Comerciantes de Veículos (SMMT, em inglês).

Foram vendidos 128.352 veículos em outubro - uma redução de 23% em relação ao número registrado um ano atrás.

De acordo com o SMMT, 1,92 milhões de novos carros foram vendidos até agora em 2008 - uma queda de 8,7% em relação ao mesmo período de 2007.

Fábricas nas cidades britânicas de Oxford e Swindon deverão ampliar as duas semanas de folga de Natal de seus operários para quatro semanas este ano.

"Outubro se mostrou um outro mês difícil para a indústria automotiva britânica e são necessárias medidas para ajudar a restaurar a confiança do consumidor e encorajá-los a voltar para as concessionárias", disse o diretor da SMMT, Paul Everitt.

Os dados são divulgados em um dia de fortes quedas nos mercados acionários.

No período da manhã, o índice FTSE da bolsa de Londres registrou quedas de 4,17%; o CAC 40 de Paris, caiu em 4,20% e o DAX, de Frankfurt, em 4,39%.

O índice Nikkei, da bolsa de valores de Tóquio, fechou em queda de 6.53%.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host