! Brics vão liderar crescimento por três anos, diz criador do termo - 06/01/2009 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

06/01/2009 - 11h41

Brics vão liderar crescimento por três anos, diz criador do termo

Os Brics - Brasil, Rússia, Índia e China - deverão liderar a expansão da demanda econômica global por três anos, diz um artigo publicado nesta terça-feira pelo diário britânico "Financial Times" assinado por Jim O'Neill, o criador do termo "Brics".

O'Neill, que é chefe do setor de pesquisa econômica global da Goldman Sachs, começa perguntando o quão relevante são os Brics no novo cenário mundial, em que esses países enfrentam seu primeiro grande "choque" externo desta década.

"Todos os Brics, por suas próprias razões internas, vão achar o desafio de lidar com uma economia americana enfraquecida mais difícil do que eles esperavam? Ou nós vamos descobrir que não apenas essas nações podem lidar melhor do que acreditam os ocidentais, mas que alguns de seus próprios modelos econômicos vão ser imitados pelos países desenvolvidos para ajudá-los a lidar com o declínio dos sistemas do mercado do setor privado?", pergunta O'Neill.

No artigo intitulado "Por que seria errado descartar os Brics", O'Neill ainda se pergunta se 2009 finalmente será o ano em que esses países vão assumir maior importância no cenário internacional e o G20 vai substituir o G7 e o G8 como principal fórum de governança mundial.

"A última previsão da Goldman Sachs para crescimento do PIB mundial é de apenas 0,6% em 2009. Nós projetamos que o avanço das economias dos países desenvolvidos decline em 1,2%. O crescimento de 0,6% é derivado de um crescimento projetado do PIB de cerca de 4,7% nos Brics. As economias dos Brics respondem por cerca de 15% do PIB mundial", afirma O'Neill.

Segundo ele, as projeções do Goldman Sachs para demanda doméstica são semelhantes às do PIB, "o que significa que os Brics serão a única fonte global de crescimento doméstico em 2009".

O artigo afirma que as projeções são de crescimento econômico dos Brics de 7,2% em 2010, impulsionadas pelo estímulo da China.

"Então, partindo de 2008, nós projetamos que por três anos de crescimento consecutivo nós vamos ver a expansão da demanda global liderada pelas economias dos Brics", diz.

"Até o fim da década, eles podem estar perto de representar 20% do PIB global. Isso é dramaticamente mais alto do que qualquer um dos quatro cenários que consideramos em 2001, quando escrevi pela primeira vez sobre a provável emergência das economias dos Brics", afirma.

Segundo O'Neill, com projeções como essas, a idéia de que, unidos, os Brics sejam maiores do que o G7 até 2035 parece cada vez mais plausível.

O'Neil ainda defende que o ocidente dê mais espaço para os Brics nos fóruns mundiais de decisão e governança.

"Quando o G20 se reuniu em outubro em Washington, havia uma longa lista de coisas a fazer. Não há muitas chances de alcançar nenhuma dessas coisas a não ser que o sistema de governança global e o próprio G20 sejam reconhecidos como o principal fórum para tomada de decisões para todas essas questões", afirma o artigo publicado no "FT".

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host