! Chefe da AIG pede que executivos devolvam bônus - 18/03/2009 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/03/2009 - 17h18

Chefe da AIG pede que executivos devolvam bônus

O presidente da seguradora AIG, Edward Liddy, reconheceu nesta quarta-feira que o pagamento de bônus equivalentes a cerca de US$ 200 milhões a seus funcionários foi ''repugnante'' Mas acrescentou que pediu aos executivos que receberam compensações superiores a US$ 100 mil que devolvam a quantia e que alguns já o teriam feito. Os comentários de Liddy foram feitos durante seu depoimento ao Congresso dos EUA. Liddy disse também que o pagamento dos bônus, que vêm causando forte indignação nos Estados Unidos, já era de conhecimento do Federal Reserve (o Fed, como é conhecido o Banco Central americano).

O depoimento do presidente da seguradora já estava previsto antes de terem vindo à tona, no final da semana passada, as notícias relativas ao pagamento das compensações a seus executivos, que vêm causando revolta entre os americanos.

A seguradora recebeu no final do ano passado um total de US$ 170 bilhões em auxílio do governo, para que não entrasse em concordata. A possível falência da AIG poderia ter um efeito catastrófico, uma vez que diversas instituições financeiras americanas possuem seguros junto à empresa.

Pouco antes do depoimento de Liddy, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse, em Washington, que o pagamento dos bônus milionários representa ''um uso inadequado do dinheiro dos contribuintes''.

O líder americano acrescentou que ''igualmente utrajante é o fato de que nos estejamos tendo que limpar a bagunça deixada pela AIG''.

O presidente americano disse não querer aplacar a raiva da população americana em relação ao tema. ''Eles estão certos de estar com raiva. Eu estou com raiva.'' Mas acrescentou que é canalizar a raiva de ''uma forma construtiva'' que, segundo ele, seria obter ferramentas para impedir a quebradeira de companhias como a AIG através de uma maior fiscalização por parte do Estado.

Obama acrescentou que vem conversando com membros do Congresso conversou com o presidente do Comitê de Serviços Financeiros, Barney Frank, sobre maneiras de traçar estratégias de fiscalização. Em seu depoimento ao Congresso, Edward Liddy reconheceu ''o ápice da raiva'' entre a população gerado pelo pagamento de compensações. Mas acrescentou que o pagamento de bônus ocorreu porque a empresa tem que ''continuar a tratar o seu negócio como um negócio, levando em conta as frias realidades da competição por consumidores, por lucros e por empregados''.

Por isso, acrescentou ''e devido a algumas obrigações legais, a AIG recentemente fez uma série de pagamentos compensatórios, alguns dos quais eu considero de mau gosto''.

Os deputados americanos aproveitaram o depoimento transmitido pela TV para transmitir sua indignação. O democrata Paul Hodes, de New Hampshire, afirmou que a sigla AIG representa ''arrogância, incompetência e ganância''. O chefe do Comitê Financeiro da Câmara dos Representantes, Barney Frank, enfatizou que Liddy não era o responsável pelo pagamentos dos bônus, que foram decididos antes de ele assumir o controle da empresa.

Mas Frank solicitou que Liddy forneça os nomes de todos os executivos que não teriam devolvido a quantia. O presidente da empresa concordou em fazê-lo, desde que a Câmara garantisse que não divulgaria publicamente os nomes dos funcionários, devido a temores por sua segurança.

De acordo com Liddy, a AIG tem recebido cartas com ameaças e leu uma na qual pediu-se o estrangulamento dos executivos da firma com cordas de piano.

O chefe do Comitê de Finanças não recuou diante do apelo. ''Se formos ceder à esse tipo de ameça, nós nunca divulgaríamos qualquer informação''.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host