! EUA apresentam plano para regular derivativos - 14/05/2009 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

14/05/2009 - 01h16

EUA apresentam plano para regular derivativos

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou, nesta quarta-feira, um plano para aumentar a regulação sobre os derivativos - as complexas operações financeiras que levaram algumas das maiores instituições de Wall Street ao colapso.

Uma proposta apresentada ao Congresso pelo secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, prevê a implementação de um sistema eletrônico para monitorar as compras e vendas no mercado de derivativos. Além disso, de acordo com a proposta, empresas que negociarem derivativos também serão obrigadas a demonstrar que têm capital suficiente disponível para o caso de se tornarem inadimplentes. Elas também terão que seguir padrões de conduta e apresentarem relatórios.

A seguradora AIG e o banco Lehman Brothers estão entre as empresas que tiveram problemas ao negociarem com derivativos.

Segundo Geithner, as novas medidas devem reduzir riscos para o sistema financeiro. O governo Obama pediu ao Congresso que aja de maneira rápida para aprovar uma legislação para fiscalizar estes instrumentos. Regulação A legislação atualmente existente nos Estados Unidos não regula estes instrumentos financeiros, que são negociados de modo privado.

Em uma carta enviada aos líderes do Congresso dos EUA, Geithner afirmou "que todos os negociadores de derivativos e as outras empresas cujas atividades nestes mercados criam uma grande exposição a outras partes devem estar sujeitas a um regime robusto de supervisão e regulação".

"Elementos-chave deste regime de regulação devem incluir requisitos cautelosos de capital, padrões de administração de negócios, requisitos para relatórios e requisitos de cautela relacionados à margem de exposição das outras partes", diz a carta do Departamento do Tesouro ao Congresso.

Os derivativos são basicamente contratos financeiros que podem ajudar empresas e bancos a se protegerem de acontecimentos imprevistos, como por exemplo, repentinas quedas ou altas nos valores de moedas ou commodities.

Estes instrumentos, no entanto, também são usados em especulação financeira.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host