! Cepal prevê retração menor no Brasil e maior na América Latina - 15/07/2009 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/07/2009 - 13h29

Cepal prevê retração menor no Brasil e maior na América Latina

A Cepal (Comissão Econômica para América Latina e Caribe) divulgou nesta quarta-feira uma revisão de sua projeção para o desempenho da economia da região este ano, prevendo um cenário pior para a área como um todo, mas melhor para o Brasil.

Segundo o relatório Estudo Econômico da América Latina e Caribe 2008-2009, a América Latina e o Caribe devem ter uma queda de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) e aumento do desemprego para 9%. Em uma previsão anterior, de junho, a previsão do órgão era de retração de 1,7% em 2009. Em outra, de abril, a estimativa era de encolhimento de 0,9% no PIB.

Por outro lado, no novo Estudo, a Cepal prevê que a economia brasileira terminará este ano com retração de 0,8%. Em abril, o organismo tinha divulgado uma previsão de contração da economia brasileira de 1% em 2009.

Reação No Estudo divulgado nesta quarta-feira, o organismo das Nações Unidas ressalta, porém, que a economia da América Latina e do Caribe deverá começar a reagir no fim do ano, registrando crescimento positivo de 3,1% em 2010.

De acordo com a Cepal, o desempenho da economia regional em 2009 está sendo afetado pela queda na exportação de bens no primeiro trimestre deste ano frente ao mesmo período do ano passado, devido a redução na demanda externa. As remessas (do exterior) também caíram e se espera que o fluxo de Investimento Estrangeiro Direto (IED) sofra uma contração de 40% este ano.

Estes resultados, afirma a Cepal, tiveram impacto sobre o mercado de trabalho e entre o início de 2008 e o primeiro trimestre de 2009 mais de um milhão de pessoas ficaram sem emprego nas zonas urbanas desta região.

"Estima-se que a taxa de desocupação aumentará de 7,4%, em 2008, para cerca de 9% este ano, deixando mais de três milhões de pessoas a mais sem emprego. Será incrementado o emprego informal, afetando os níveis de pobreza", informa o estudo.

Quanto à economia do Brasil, a Cepal estima que, em 2010, seja registrado um crescimento de 3,5%.

Entre as economias com previsão de pior desempenho da Cepal estão as do México, com estimativa de queda de 7%, do Paraguai, com 3% e do Chile, com 1%.

A Argentina, ao contrário das previsões de consultorias privadas, registraria um PIB positivo de 1,5%.

Para o ano que vem, a Cepal prevê resultado positivo para todas as economias da América Latina e Caribe, incluindo o México.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host