! Economia na OCDE 'se estabilizou no 2º trimestre' - 19/08/2009 - BBC Brasil
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

19/08/2009 - 09h07

Economia na OCDE 'se estabilizou no 2º trimestre'

A economia se estabilizou no segundo trimestre nos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), indicam dados preliminares da organização divulgados nesta quarta-feira.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos países que compõem a entidade não se mexeu em relação ao primeiro trimestre, quando foi registrada uma queda de 2,1% sobre o trimestre anterior.

Nas sete maiores economias do mundo, houve queda de 0,1% no PIB do segundo trimestre em relação ao primeiro, estatística que se repetiu para a média dos 16 países que compõem a zona do euro.

Em todos os países da União Européia, o recuo no segundo trimestre foi de 0,3%, comparado a uma queda de 2,4% no trimestre anterior.

França e Alemanha As estatísticas apontam para uma recuperação nas economias mais industrializadas do planeta, onde em alguns países resultados divulgados recentemente encerraram tecnicamente a recessão.

Foi o caso da França e da Alemanha, que registraram uma alta de 0,3% do PIB no segundo trimestre em relação ao primeiro, e do Japão, que viu uma alta de 0,9% no mesmo período.

Já os Estados Unidos adiantaram no fim do mês passado, que suas estatísticas apontaram uma queda menor no segundo trimestre que no primeiro. Anualizada, a taxa foi negativa em 1%, contra 6,4% três meses antes.

Embora o relatório trimestral da OCDE seja divulgado sem comentários, diversos analistas se mostraram cautelosos com os resultados melhores nos países industrializados nas últimas semanas.

Para eles, o ponto de interrogação é se as economias mais industrializadas do planeta encerraram ou apenas interromperam o ciclo negativo e, em caso positivo, se entraram em uma dinâmica capaz de sustentar um novo período de alta.

Na Grã-Bretanha, onde nas estimativas da OCDE o segundo trimestre foi de contração de 0,8% - contra 2,4% na comparação dos três meses anteriores - o próprio governo tem dito que ainda há um "longo caminho" para a recuperação econômica.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host