UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

30/09/2009 - 07h47

Total de montadoras no salão do automóvel de Tóquio é menor da história

A crise mundial, que afetou montadoras de veículos em vários países, está sendo sentida também no "Tokyo Motor Show' deste ano.

O salão, o maior da Ásia e um dos mais importantes do mundo, terá 25 fabricantes de carros a menos em relação ao evento anterior, realizado em 2007.

Este ano, apenas dez montadoras participam do evento: oito japonesas e duas estrangeiras. Na edição anterior, em 2007, o salão contou com nove montadoras japonesas e 26 estrangeiras.

Contando com as fabricantes de carros comerciais, assessórios e motocicletas, o salão terá neste ano 108 expositores. É a feira com menor número de participantes desde a sua criação, em 1954.

A queda de 52,2% no número de expositores de veículos de passeio fez com que o número de dias de evento também fosse reduzido. Neste ano, serão 13 dias, três a menos que a edição passada.

As principais ausentes são as montadoras estrangeiras, como Ford, Chrysler, GM e Fiat, que estão entre as mais abaladas pela crise econômica.

Apenas duas fabricantes do exterior confirmaram a presença: a britânica Lotus e a alemã Alpina.

Nem as empresas asiáticas, geograficamente próximas do Japão, aceitaram o convite. A sul coreana Hyundai enviou comunicado na terça-feira à Associação Japonesa de Fabricantes de Carros (Jama, na sigla em inglês), organizadora do evento, descartando participar do evento.

"A crise econômica, que começou no ano passado, foi a responsável pela decisão das fabricantes de não participar do evento", lamentou Satoshi Aoki, presidente da Jama, em uma conferência à imprensa.

Por conta disto, o público vai ver também um número muito menor de lançamentos. Serão apenas 20 - dos quais 19 japoneses -, frente aos 36 novos modelos apresentados na feira passada.

O evento de 1995 foi o que mais teve expositores, num total de 361 empresas. Em 2007, o número foi de 241 companhias e o público visitante chegou a 1,4 milhão de pessoas.

Além da queda na venda de veículos no mundo todo, a concorrência chinesa também vem tirando o brilho da feira japonesa. A feira de Xangai, realizada em abril passado, reuniu 77 montadoras.

"As fabricantes estão de olho no mercado chinês, que cresce rápido. Lá as pessoas tem um interesse cada vez maior de possuir um veículo novo, enquanto o mercado japonês diminui a cada ano", justificou Aoki.

O evento deste ano começa dia 23 de outubro e vai até dia 4 de novembro.
Hospedagem: UOL Host