UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/11/2009 - 06h56

Crescimento não deve depender só de exportações para os EUA, diz Obama

EUA e China são acusados de desvalorizar suas moedas
O presidente americano, Barack Obama, disse neste sábado que nenhum país deve condicionar seu crescimento a exportações para os Estados Unidos.

"País nenhum deve imaginar que seu caminho para a prosperidade é baseado simplesmente em exportações para os Estados Unidos", disse ele durante o Foro de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em Yokohama, no Japão.

Obama disse que a crise econômica mostrou os limitações de se depender do mercado americano e aconselhou países que produzem muito a aumentar seus mercados internos, em uma aparente referência a China e Japão.

O líder americano disse também que competir comercialmente de forma saudável não deve ser a causa de desentendimentos entre nações.

"Não é preciso ver o comércio ou o crescimento econômico como um jogo no qual um país deve prosperar às custas de outro", disse ele.

Moedas
Falando após Obama, o presidente chinês, Hu Jintao, disse que seu país está estimulando o consumo interno, mas disse que ajustes em sua moeda, o yuan, devem ser feitos gradualmente.

A chamada guerra cambial, na qual alguns países estariam desvalorizando artificialmente de suas moedas para beneficiar suas exportações, dominou a reunião do G20 esta semana, em Seul. O encontro, no entanto, não produziu uma ação coordenada para combater o problema.

Os líderes dos 21 países presentes no encontro da Apec em Yokohama negociam a criação de uma área de livre comércio na região.

O correspondente da BBC Roland Buerk disse que o encontro pode ajudar na normalização das relações entre China e Japão, abaladas desde setembro quando um barco pesqueiro chinês chocou-se com uma embarcação da guarda marítima japonesa na região das ilhas Diaouyu (Senkaku para os japoneses), uma área de disputa territorial entre os dois países.

Hospedagem: UOL Host