UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

30/11/2009 - 09h34

Bolsa de Abu Dhabi tem maior perda diária em um ano

A Bolsa de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, depencou 8,2% nesta segunda-feira, a maior queda diária em  um ano. Hoje foi o primeiro dia de negociações desde que a empresa estatal Dubai World anunciou que atrasará o pagamento de suas dívidas, avaliadas em US$ 58 bilhões. Os mercados locais estiveram fechados por quatro dias por causa de um feriado religioso.

Ações dos setores de construção e financeiro caíram quase 10% enquanto que as ações da Dubai World , responsável pela vasta expansão imobiliária do emirado, caíram 15%.

 Na Bolsa de Dubai a queda foi de 7,3%. Na semana passada, o anúncio do pedido de moratória da Dubai World causou quedas nos principais mercados internacionais, que estavam ou ainda estão tentando se recuperar da crise global financeira iniciada com a crise de crédito do mercado imobiliário americano, em setembro de 2008.

Os problemas do emirado reacenderam temores de uma nova crise de crédito global - que poderia provocar uma queda na demanda global por várias commodities, entre elas o petróleo.

Retomada asiática

Apesar da forte queda nas bolsas de Abu Ahabi e Dubai, as Bolsas asiáticas mostraram recuperação - mas os mercados da Ásia fecharam antes do anúncio da Nakheel.

O índice Nikkei de Tóquio teve alta de 2.9% enquanto o Hang Seng, de Hong Kong, registrou alta de 3,6%. As ações em Xangai tiveram alta de 2,5%.

O iene japonês teve valorização frente ao dólar e a moeda da Coreia do Sul, o won sul-coreano, também teve valorização depois que o Ministério da Fazenda do país informou que os bancos tiveram exposição "limitada" aos problemas financeiros de Dubai.

O preço do barril do petróleo cru subiu 1% para mais de US$ 76, depois da queda acentuada na semana passada, registrada após o anúncio da moratória da Dubai World.

Liquidez

No domingo, o Banco Central dos Emirados Árabes Unidos anunciou a criação de um mecanismo para oferecer mais liquidez (dinheiro disponível imediatamente) a bancos do país.

Bancos estrangeiros operando nos Emirados Árabes também poderão utilizar o recurso.

O Banco Central dos Emirados Árabes Unidos também afirmou, em um comunicado, que o sistema bancário dos Emirados Árabes Unidos está mais sólido e com mais liquidez do que no ano passado.

Analistas acreditam que o anúncio tenha a intenção de evitar uma possível corrida aos bancos nos Emirados Árabes e de países do Oriente Médio nesta segunda-feira.

Hospedagem: UOL Host