UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/04/2010 - 06h14

PIB chinês cresce quase 12% no primeiro trimestre de 2010

A economia da China cresceu a uma taxa anual de 11,9% no primeiro trimestre deste ano, o que, segundo analistas, pode levar a uma valorização da moeda do país, o yuan.

 

O valor é bem superior ao mesmo período no ano passado, em que a taxa registrada foi de 6%, e ligeiramente mais alta que o trimestre anterior, que marcou crescimento de 10,7% A taxa anual anunciada nesta quarta-feira também é ligeiramente mais alta do que a esperado pelo mercado. O índice de inflação também foi surpreendentemente baixo, de 2,2%.

"Começamos bem o ano", disse um porta-voz do Escritório Nacional de Estatísticas, ao anunciar os números, em Pequim, nesta quarta-feira.

Segundo a analista de economia da BBC Linda Duffin, os números refletem em muito o grande pacote de estímulo fiscal do governo, que fez crescer a confiança do consumidor e seus gastos.

Problemas

Mas outros especialistas creem que o pacote pode trazer problemas para a economia chinesa.

"Fala-se muito em superaquecimento", disse à BBC Glenn Maguire, economista-chefe para a região de Ásia-Pacífico da Societé Générale. "Mas o sintoma clássico é a inflação." "Há especulações sobre um aumento da taxas de juros, mas agora, dada a baixa inflação, é possível que haja uma valorização do yuan", afirmou Maguire.

Em março, a taxa de inflação de preços ao consumidor chinesa foi de 2,4%, abaixo da expectativa de 2,7%.

Segundo a analista da BBC, a grande oferta de empréstimos a juros baixos está fazendo subir o preço dos imóveis, gerando o temor de uma bolha.

Por isso, as taxas para as hipotecas foram aumentadas e foi introduzido um novo imposto sobre a venda de casas.

Para Duffin, se o governo conseguir manter o crescimento a uma taxa sustentável, a China poderá superar o Japão e poderá se tornar a segunda maior economia do mundo ainda este ano.

 

Hospedagem: UOL Host