UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/06/2009 - 13h02

Superávit comercial de maio bate recorde em 11 meses

EFE
Rio de Janeiro, 1º jun (EFE).- O Brasil obteve em maio um superávit na balança comercial de US$ 3,443 bilhões, valor 31,26% superior ao do mesmo mês de 2009 e o maior saldo positivo nos últimos 11 meses, informou hoje o Governo.

O superávit comercial não era tão alto desde o registrado em junho do ano passado (US$ 4,604 bilhões), segundo os dados divulgados pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O saldo de maio superou inclusive o somado entre janeiro e abril deste ano (US$ 2,174 bilhões) e permitiu ao Brasil acumular nos primeiros cinco meses do ano um superávit comercial de US$ 5,617 bilhões.

O saldo acumulado até agora no ano ainda é inferior, em 39,63%, ao dos cinco primeiros meses do ano passado (US$ 9,304 bilhões). Mas, graças à reação de maio, a diferença já não é tão elevada como era até abril, quando o superávit acumulado do ano caía 67,4%.

O bom desempenho da balança comercial em maio foi resultado de exportações de US$ 17,702 bilhões e importações de US$ 14,259 bilhões.

Enquanto as exportações cresceram 47,71% em comparação com as de maio do ano passado (US$ 11,984 bilhões), as importações subiram 52,32% frente às de maio de 2009 (US$ 9,361 bilhões).

O forte aumento das exportações em maio permitiu ao Brasil elevar as vendas acumuladas nos primeiros cinco meses do ano para US$ 72,093 bilhões, valor 29,94% superior ao do mesmo período de 2009 (US$ 55,483 bilhões).

As importações cresceram a um ritmo maior (+43,95%), de US$ 46,179 bilhões nos primeiros cinco meses do ano passado para US$ 66,476 bilhões entre janeiro e maio de 2010.

O grande salto das compras externas neste ano obedece tanto à elevada apreciação do real frente ao dólar, que reduziu o preço dos produtos importados, como à recuperação da indústria nacional, que aumentou suas compras de matérias-primas no exterior e de bens de capital.

Os economistas preveem que o possível crescimento de 6% da economia brasileira neste ano e a valorização do real podem causar uma forte queda do superávit da balança comercial, que em 2009 se manteve praticamente estável frente a 2008.

O superávit comercial brasileiro caiu de US$ 40,039 bilhões em 2007 para US$ 24,956 bilhões em 2008 e chegou a US$ 25,348 bilhões no ano passado.

Os economistas dos bancos privados consultados na semana passada pelo Banco Central preveem para este ano um superávit comercial de US$ 15 bilhões, superior ao que estimavam uma semana antes (US$ 14,540 bilhões).

A previsão dos mesmos analistas para o superávit comercial do ano que vem é de apenas US$ 4,5 bilhões.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host