UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/06/2009 - 13h36

Navios seguem para área onde FAB encontrou possíveis destroços de avião

EFE
Rio de Janeiro, 2 jun (EFE).- Três embarcações da Marinha do Brasil e três navios mercantes se dirigem ao ponto do Oceano Atlântico no qual foram avistados restos que podem ser do Airbus A330-200 da Air France que desapareceu com 228 pessoas a bordo quando viajava entre Rio de Janeiro e Paris.

Segundo a Marinha, os três navios mercantes que circulavam pela região foram avisados para que desviassem sua rota e apoiassem as buscas do avião. Duas dessas embarcações já estão próximas ao local em que a Força Aérea Brasileira (FAB) avistou os materiais.

A fragata, a corveta e o navio-patrulha da Marinha que zarparam ontem rumo à possível região do acidente também foram informados sobre as coordenadas exatas do local e já se encaminham rumo à área, a cerca de 1.100 quilômetros ao nordeste de Natal.

O mais provável é que os navios mercantes cheguem ao local ainda hoje. Já a primeira embarcação da Marinha deve fazê-lo na madrugada de quarta-feira.

A FAB informou que os pilotos de dois aviões Hércules C-130 avistaram uma poltrona de avião, pequenos pedaços brancos, uma boia laranja e um tambor, além de manchas de óleo e de querosene, mas que ainda não é possível confirmar se estes elementos são do avião da Air France.

"Ainda não podemos dizer que sejam do avião, porque é necessário retirar uma peça e que contenha um número ou marca que a identifique como parte do avião", afirmou o vice-chefe de Comunicação Social do Comando da Aeronáutica, coronel Jorge Amaral.

Os vestígios foram localizados inicialmente na madrugada de hoje por um avião R-99 que utiliza um radar e um sensor infravermelho para captar objetos no mar e medir as diferenças de temperatura.

Além dos três navios da Marinha, a FAB utiliza oito aviões nas buscas pelo Airbus A330-200.

O avião da Air France partiu do Rio de Janeiro na noite de domingo e entrou em contato pela última vez com os controladores brasileiros às 22h33 daquele dia, quando informou que entraria no espaço aéreo do Senegal uma hora depois.

Uma mensagem automática enviada pouco depois pelo avião ao controle da companhia em Paris informou sobre problemas elétricos e de pressurização.

O avião levava 216 passageiros - incluindo 61 franceses, 58 brasileiros, 26 alemães, nove chineses, nove italianos, seis suíços, cinco britânicos, cinco libaneses, quatro húngaros, três eslovacos, três noruegueses, três irlandeses, dois americanos, dois espanhóis, dois marroquinos e dois poloneses - e 12 tripulantes.

Também havia no voo um cidadão de cada um dos seguintes países: África do Sul, Argentina, Áustria, Bélgica, Canadá, Croácia, Dinamarca, Estônia, Filipinas, Gâmbia, Holanda, Islândia, Romênia, Rússia, Suécia e Turquia.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host