UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/06/2009 - 08h17

Congresso dos EUA alcança um acordo sobre a reforma financeira

EFE
(Atualiza com dados sobre a votação e outros) Washington, 25 jun (EFE).- O Congresso dos Estados Unidos alcançou hoje um acordo preliminar, após mais de 20 horas de negociações, sobre o texto da reforma financeira mais ambiciosa desde a Grande Depressão e que agora será votada nas duas câmaras.

O acordo representa uma vitória para o presidente Barack Obama que irá à cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes) em Toronto com uma prova de que os Estados Unidos fizeram alto de concreto para evitar as crises financeiras com impacto global.

A reforma afeta todos os âmbitos do setor financeiro, pois inclui medidas de proteção ao consumidor, maior poder de supervisão ao Governo, regula pela primeira vez os mercados de derivados e limita a possibilidade dos bancos, como ocorreu em anos anteriores, arriscarem seus fundos.

O compromisso entre as versões da Câmara de Representantes e o Senado faz prever que a reforma financeira será aprovada da mesma maneira que o sistema sanitário em março passado, sem um só voto republicano.

A votação no comitê negociador se desenvolveu estritamente com critérios partidários: os 20 representantes democratas do Congresso votaram a favor e os 11 republicanos contra, enquanto os 7 senadores democratas também votaram a favor e os 5 republicanos contra.

A reforma, na qual o Congresso trabalhou durante um ano, afetará uma gama muito ampla de transações financeiras desde as compras com cartão no supermercado até as operações mais complexas com títulos e ações em Wall Street.

Ansiosos por prevenir outro colapso financeiro como o de 2008, os legisladores incorporaram um sistema de alarmes de riscos, criaram um escritório de proteção financeira do consumidor que terá amplas atribuições e marcaram passos para a liquidação das grandes empresas financeiras que caiam em sérios problemas.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host