UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/11/2009 - 09h48

ElBaradei espera um acordo com o Irã antes de final de ano

EFE
Berlim, 20 nov (EFE).- O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e Nobel da Paz, Mohamed ElBaradei, demonstrou hoje esperança em que antes do final do ano se consiga um acordo com o Irã em torno de seu controvertido programa nuclear.

"Agora estamos diante da primeira possibilidade de passar do confronto à cooperação com o Irã", disse ElBaradei, em entrevista coletiva em Berlim.

"Muitas portas foram abertas. O último encontro em Viena abriu a oportunidade de começar uma aproximação", acrescentou.

ElBaradei insistiu ao Governo iraniano para aproveitar a nova atitude dos Estados Unidos a partir da chegada à Presidência de Barack Obama.

"Está aberto um espaço para que o Irã e os Estados Unidos possam entrar em negociações", afirmou.

ElBaradei advertiu que se deve fazer de tudo para aproveitar "está oportunidade única e acho que passageira" e evitar falar sobre possíveis sanções contra o Irã.

"As sanções só fazem é radicalizar as posições", disse ElBaradei que, no entanto, admitiu que existem momentos em que são necessárias medidas de pressão sobre países que não cooperam com a comunidade internacional.

Por enquanto, segundo ElBaradei, é o Irã que tem de mostrar disposição para o diálogo.

"Tomara que aproveite esta oportunidade para passar do confronto à cooperação porque no confronto não há ganhadores, só perdedores", disse ElBaradei.

Por outra parte, ElBaradei rejeitou as versões de que teria maior conhecimento do programa atômico iraniano do que informou à opinião pública e ocultou, inclusive, as provas que o uso militar da energia nuclear está entre os planos de Teerã.

"Isso é absurdo, nós nos apoiamos somente em fatos", disse ElBaradei.

"Antes da Guerra do Iraque repetimos insistentemente que não havia indícios de que o Iraque tivesse armas de destruição em massa. Houve quem dissesse que estávamos manipulando informações, depois da guerra, contudo, os mesmos vieram nos pedir perdão", acrescentou.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host