UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/12/2009 - 12h50

Ministro iraniano diz que país de transformará em exportador de combustível

Teerã, 2 dez (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores do Irã, Manouchehr Mottakí, disse nesta quinta-feira que o país se transformará, "em um futuro próximo, em exportador de combustível", fato que em sua opinião demonstra "o fracasso" das sanções internacionais.

"Nos últimos cinco anos de embargo, fomos testemunhas de um progresso importante tanto no que se refere à economia interna como à externa", explicou, "Talvez eles tentem interromper as exportações de gasolina de outros países ao Irã, então verão como o Irã se transforma em um exportador de combustível", acrescentou Mottakí, citado pela imprensa oficial iraniana durante visita ao Kuwait.

O chefe da diplomacia iraniana comentou, além disso, que outros "sucessos", como a fabricação de peças de reposição para a indústria do petróleo e gás, o envio de satélites ao espaço e os novos projetos da indústria automobilística, demonstram que o país foi capaz de superar as sanções.

Nesta quinta-feira, o secretário-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, se queixou da falta de colaboração da República Islâmica com os inspetores internacionais.

O presidente iraniano já advertiu que seu país não negociará o que considera como "direitos inalienáveis", incluindo a polêmica questão do enriquecimento de urânio.

O Irã possui a segunda maior reserva provada de gás e petróleo do mundo, mas sofre com precárias refinarias, que até pouco tempo obrigava o país a importar 40% da gasolina consumida.

Em junho, e diante do temor de que as sanções afetassem o setor, iniciou um plano de produção nacional de combustível consistente em transformar seis centrais petroquímicas em refinarias.

Segundo autoridades iranianas, o projeto permitiu reduzir praticamente a zero as importações.
Hospedagem: UOL Host