UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/01/2010 - 17h34

Microsoft negocia com Apple para Bing ser o buscador do iPhone

EFE
Nova York, 20 jan (EFE).- Microsoft está negociando com a Apple um acordo para que o Bing, seu buscador de internet, seja a plataforma utilizada por causa de um defeito nos celulares iPhone, que agora só utilizam o Google, informou hoje a revista "Business Week" em sua edição digital.

A publicação, que cita como fontes duas pessoas ligadas ao assunto, aponta que as negociações se estendem há várias semanas e afirma que são reflexos da crescente rivalidade entre a Apple e o Google, duas empresas que trabalharam como sócias no passado.

Além disso, o presidente-executivo do Google, Eric Schmidt, era conselheiro da Apple, segundo lembra a própria revista, que destaca como agora ambas as assinaturas começaram a disputar em vários mercados, incluindo a telefonia celular.

Google começou a vender um telefone inteligente, o Nexus One, que concorre diretamente com o iPhone e liderou o desenvolvimento de um sistema operacional para celulares que é um sério concorrente para o iPhone OS, que está incorporado nos celulares da Apple.

"Apple e Google sabem que são respectivamente inimigos", afirma uma das fontes da revista, que acrescenta que o criador dos computadores Macintosh também procura maneiras de colocar anúncios nos celulares, uma medida que também poderia prejudicar o modelo de negócio publicitário da gigante da internet.

Segundo a publicação americana, as negociações não se encontram em um estado muito avançado, por isso que poderiam ser rompidas ou serem prolongadas.

Se concluído o acordo, os usuários do revolucionário iPhone entrarão automaticamente na internet por intermédio do Bing, de modo que se quiserem continuar utilizando o buscador do Google terão de modificar manualmente a configuração de seus telefones.

Ser motor de busca por defeito no iPhone tem grandes benefícios financeiros para o Google, que recebe receitas pelos anúncios colocados junto aos resultados das buscas realizadas com seu buscador, e transfere parte deles a Apple.

Para fechar um acordo com o Bing, "Microsoft estaria disposta a compartilhar uma fatia maior de suas receitas ou pagar uma tarifa anual fixa maior", afirma a publicação.

Enquanto o Google é o buscador de internet mais utilizado a partir dos celulares, com 86% do mercado, Bing só controla 11%, por isso que este acordo poderia ser crucial.

O curioso destas negociações é que a Apple e a Microsoft são os dois grandes rivais históricos no mundo dos sistemas operacionais para computadores pessoais, enquanto o Google sempre foi considerado um aliado da primeira para competir com a enorme implantação da companhia de Bill Gates.

No entanto, não é tão conhecido que, como lembra "Business Week", ambas colaboram em certos âmbitos e que a Microsoft desenvolve versões para Mac de seus programas de Office.

Apple já teve suas reservas ao concordar "com vacilação" sobre a utilização do Google como motor de busca por causa de um defeito no iPhone antes do lançamento no mercado em 2007, segundo as fontes próximas das negociações.

"Além de usar a barra de busca (do Google), ambas as companhias trabalharam juntas para criar versões especiais do Google Maps e o reprodutores de vídeos YouTube, adaptados para funcionar com maior agilidade" no iPhone, lembra a publicação.

Até então, Apple via no Google uma oportunidade para aumentar a popularidade do iPhone, enquanto em apenas dois anos, o gigante de internet se transformou em um perigoso rival no mundo da telefonia celular.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host