UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/01/2010 - 14h38

Bancos alemães criticam planos de Obama de regulação

Frankfurt (Alemanha), 22 jan (EFE).- Os bancos alemães criticaram hoje os planos do presidente americano, Barack Obama, de obrigar as entidades de crédito a separar os bancos comerciais tradicionais dos de investimento.

A Associação alemã de Bancos Comerciais disse hoje que "os planos dos EUA prejudicarão o conjunto do sistema financeiro".

"Acho que a proposta de dividir os bancos, limitar seu tamanho ou suas atividades segue em uma direção equivocada", disse o presidente do Deutsche Bank, Josef Ackermann.

Segundo Obama, a proposta almeja fazer com que nenhum banco ou entidade financeira que o controle possa ser dono, investir ou patrocinar um hedge fund (fundo de risco), um fundo de capital de risco, ou especular em bolsa com seu próprio dinheiro.

A iniciativa também limitará o tamanho das entidades financeiras e as fusões no setor.

Além disso, Obama pretende impor um teto ao tamanho dos bancos, que desde 1994 se submetem à limitação da quantidade de depósitos, já que nenhuma entidade pode ter mais de 10% do total da poupança existente no país.

Com isso, o presidente americano quer impedir a formação de grandes bancos que, em caso de falência, prejudiquem o sistema financeiro em seu conjunto, o que obrigaria o Governo a ajudá-los novamente.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host