UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/01/2010 - 10h09

China proíbe mensagens de texto "indecentes" e "sexuais"

EFE
Pequim, 25 jan (EFE).- A maior operadora de telefonia celular do mundo, a estatal China Mobile, está censurando mensagens de texto (SMS) com conteúdos "indecentes" ou "sexuais", em cumprimento a uma ordem do Governo que também se aplica a outras duas gigantes locais, a China Telecom e a China Unicom, informou hoje a imprensa nacional.

Ao jornal "South China Morning Post", a China Mobile, com 518 milhões de assinantes, disse que as restrições se baseiam em uma "lista de palavras-chave" distribuída pelas agências de segurança nacional.

Por determinação do Governo, o serviço de mensagens de texto de um cliente poderá ser desabilitado caso o conteúdo da mensagem seja "indecente" ou "sexualmente explícito".

A medida já foi classificada como "ilegal" por grupos de direitos humanos, que veem nela uma "desculpa" a mais das autoridades "para censurar".

De acordo com o jornal "Apple Daily", de Hong Kong, 70 mil celulares tiveram o serviço de mensagens de texto desabilitado só em Xangai. Mas, de acordo com a operadora, os clientes podem reativá-lo se procurarem um de seus representantes.

Para isso, no entanto, antes é preciso ir a um posto de atendimento da Polícia para que "o conteúdo da mensagem em questão" seja "verificado".

Os grupos de defesa da liberdade de expressão alegam que, antes de suspender o serviço, a empresa deveria provar o conteúdo inadequado da mensagem.

Os ativistas dizem ainda que, na verdade, a medida teria como objetivo principal restringir a circulação das mensagens de cunho político trocadas pelos dissidentes, já que os chineses não têm o hábito de enviar torpedos sexuais pelo celular.

Geralmente, esse serviço é usado para o envio de felicitações, informes sobre negócios e fofocas.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host