UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

29/01/2010 - 05h48

Senado americano aprova novo mandato para presidente do Fed

Washington, 28 jan (EFE).- O Senado dos Estados Unidos aprovou hoje a continuidade de Ben Bernanke à frente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) por mais quatro anos.

A votação aconteceu minutos depois que os senadores decidiram pôr fim ao acalorado debate sobre a liderança de Bernanke, que recebeu o voto de confiança de 70 legisladores e foi rejeitado por outros 30.

Eleito pela revista "Time" a "Pessoa do Ano" em 2009, o presidente do Fed é apontado como grande responsável por salvar o sistema financeiro dos EUA do colapso.

Em comunicado, o presidente americano, Barack Obama, expressou sua satisfação "pelo ampla margem bipartidária que confirmou o novo mandato de Ben Bernanke como presidente do Federal Reserve".

Para Obama, Bernanke "apresentou sabedoria e uma liderança firme em plenas crises econômica e financeira. Embora a pior parte da tempestade tenha passado, a devastação que ela deixou continua e temos que fazer muito para reconstruir nossa economia. Dou os parabéns a Bernanke e tenho muita vontade de colaborar com ele".

Por outro lado, o economista de 56 anos também foi um dos que defendeu o resgate aos bancos do país, uma medida bastante impopular entre os cidadãos comuns.

A antipatia cresceu com o clima econômico atual, que fez o desemprego nos EUA subir para 10%.

O mal-estar da população não passou em branco na câmara alta do Congresso, já que vários senadores vão tentar a reeleição em novembro deste ano.

Alguns dos que se submeterão ao teste das urnas, como o republicano John McCain, pediram que Bernanke se responsabilize por "muitas das decisões" que contribuíram para a crise financeira no país.

O atual mandato de Bernanke termina em 31 de janeiro. Caso seja confirmado no cargo, o economista terá que decidir quando e de que forma suspenderá as medidas de emergência implementadas pelo Fed para impulsionar a recuperação econômica.

O Federal Reserve também terá de definir quando porá fim à política de juros a quase zero, com a qual tentou estimular a economia.

Os mercados de futuros não acreditam que o Fed vai subir as taxas de juros pelo menos até novembro.

O Federal Reserve tem grande influência na economia, no emprego e na inflação, ao determinar o nível das taxas de juros de referência.

Além disso atua como estabilizador ao realizar empréstimos de emergência aos bancos quando há situações de emergência que não podem ser resolvidas de outra forma.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host