UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/02/2010 - 14h09

Toyota anuncia novo recall e muda estratégia para enfrentar crise

EFE
Jairo Mejía.

Tóquio, 9 fev (EFE).- A maior fabricante de veículos do mundo, a japonesa Toyota, incluiu hoje o híbrido Prius à sua lista de modelos com possíveis problemas de fabricação e que terão que passar por uma revisão.

Em uma mudança de estratégia, o presidente da montadora, Akio Toyoda, fez hoje uma rápida aparição pública para anunciar o recall de 437 mil de seus híbridos no mundo todo.

A maioria das revisões será feita em veículos da terceira e mais recente geração do Prius, que teve 300 mil unidades vendidas desde o seu lançamento, em meados de 2009. No entanto, o recall também vale para proprietários dos modelos Lexus HS250h, Toyota Sai e Prius Plug-in.

Só no Japão, são 223.068 as unidades que terão que voltar às concessionárias da marca. Nos Estados Unidos, esse número cai para 155 mil. Já na Europa, chegam a 53 mil os veículos que podem ter problemas, ao passo que, no resto do mundo, não passam de 5 mil os carros afetados pelo recall, segundo um porta-voz da Toyota.

Agora, o domínio da montadora no setor de motores híbridos acessíveis, no qual a fabricante basearia a recuperação de suas vendas a partir deste ano, se vê ameaçada, sobretudo por causa da inclusão do Prius na lista de modelos que podem ter saído de fábrica com problemas.

O recall do primeiro híbrido a liderar as vendas no Japão em 2009 foi motivada por uma falha que ocasiona um atraso de um segundo na resposta dos freios quando o veículo trafega em terrenos deslizantes.

O problema no sistema de frenagem, responsável por cerca de 200 reclamações no Japão e nos Estados Unidos, é diferente do registrado no acelerador de outros modelos, que obrigou a fabricante a convocar o recall de 8 milhões de automóveis Toyota no mundo todo.

Entretanto, ambas as falhas ressaltam a ineficácia do controle de qualidade da montadora, que durante décadas baseou seu crescimento na oferta de veículos modernos e seguros a preços razoáveis.

O reparo do software responsável pelo problema nos freios começa amanhã no Japão e terminará em três meses, mas o alcance do problema ameaça prejudicar as vendas e os resultados da Toyota por um período bem mais longo.

A falha afeta os Prius de terceira geração fabricados entre abril e janeiro últimos nas unidades japonesas da Toyota. Embora o problema tenha sido reparado em sua origem há pouco mais de uma semana, a semelhança do sistema usado no híbrido com o de outros modelos, como o Toyota-Sai e o Lexus HS250h, fez o recall aumentar significativamente.

Ao todo, 10.820 unidades do recém-lançado Sai, um sedan híbrido para o mercado japonês, e 12.423 Lexus HS250h, outra aposta da montadora no mesmo segmento, também terão que ser revisados.

A conta fecha com as 159 unidades do Prius Plug-in, que prioriza o motor elétrico ao de gasolina e pode ser carregado em casa.

A crise na Toyota fez o Governo japonês exigir explicações da fabricante e as agências de classificação de risco ameaçarem diminuir a nota da companhia. Até nos EUA o caso teve grande repercussão, haja vista a audiência convocada pelo Congresso.

As técnicas de gestão da produção criadas pela Toyota, estudadas como exemplo de eficiência, estão agora sendo questionadas. Mas Toyoda foi a público "tomar as rédeas" e "aceitar a responsabilidade" por esta crise sem precedentes.

Na rápida aparição que fez hoje, Toyoda reafirmou "o compromisso da Toyota com a qualidade" e disse que a montadora vai "voltar a ganhar a confiança dos consumidores" com medidas como a suspensão, até março, das vendas de todos os modelos híbridos com problemas, com exceção do Prius.

A decisão incomum é similar à tomada na América do Norte, maior mercado da Toyota e onde, no fim de janeiro, foram suspensas as vendas e a fabricação de oito dos modelos mais populares da marca, entre eles o Camry, o carro mais vendido nos EUA.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host